Tíquete médio de compras na Black Friday será de R$ 169,93, aponta pesquisa da CDL/BH

CDL na Mídia

Aguardada por consumidores e lojistas, a Black Friday pretende movimentar o comércio em novembro. Na capital, com a expectativa de grandes descontos e boas promoções, os belo-horizontinos planejam gastar, em média, R$ 169,93 por produto, e realizar suas compras preferencialmente nas lojas de rua (41,4%) durante a Black Friday, que irá acontecer no dia 24 de novembro, um mês antes do natal. Este é o resultado apresentado por pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), entre os dias 2 e 18 de outubro 2017, com 200 pessoas.

Além das lojas de rua, 33% dos entrevistados pretendem realizar suas compras nos shoppings centers. Somando, 74,4% irão consumir em lojas físicas. “A preferência pelas lojas de rua e shoppings é uma novidade, tendo em vista que o evento se originou no e-commerce. Isso mostra que o varejo tradicional acertou em aderir às promoções da Black Friday”, explica a economista da CDL/BH, Ana Paula Bastos. Já os consumidores, que preferem utilizar o comércio virtual para realizar suas compras, correspondem a 25,6%. Os jovens (18 a 24 anos) são os que mais irão utilizar a internet (35,8%), junto com as pessoas de 25 a 34 anos, os jovens-adultos, com 29,6%.

Apesar de o tíquete médio geral ser de R$ 169,93, a maior parte das pessoas que pretendem consumir (28,4%) tem a intenção de gastar acima de R$ 500. Este valor mais alto é explicado pelos itens que serão adquiridos, como eletrodomésticos, eletrônicos e móveis. “Parte da população espera a data para comprar produtos de maior valor como os celulares, tablets, vídeo games, entre outros. Esses itens costumam ter um percentual significativo de descontos na Black Friday”, comenta a economista da CDL/BH. Entre os segmentos, o menor tíquete médio ficou com o de vestuários (R$ 97,27), e os maiores valores são dos eletrônicos e eletrodomésticos, em R$ 256,17 e R$ 368,17, respectivamente.

Principais razões para consumir na Black Friday

Os consumidores estão cada vez mais atentos aos preços baixos e às promoções realizadas na Black Friday e pretendem aproveitar esse momento. Segundo o levantamento da CDL/BH, 47,7% estão aguardando o dia 24 de novembro para as compras.  Para quem vai consumir na Black Friday os principais motivos são: promoções/descontos melhores (38,9%); preços mais baixos (23,2%); forma de pagamento mais atrativa (11,6%); aproveitar os descontos e comprar os presentes de Natal (7,4%); aproveitar o 13º salário (5,3%); presente (2,1%) e não responderam (11,6%).

Já 52,3% dos entrevistados afirmaram que não irão consumir na Black Friday. “Muita gente não vê vantagens nos descontos oferecidos ou estão cortando os gastos. Além disso, mesmo com melhoras nos indicadores econômicos, os consumidores ainda estão cautelosos. Por isso, preferem não aderir a Black Friday”, esclarece Ana Paula.

No recorte da pesquisa por gênero, classe social e faixa etária, as mulheres (53,7%), a classe A/B (69,2%) e as pessoas com idade de 25 a 34 anos (53,2%), são as que mais irão adquirir produtos durante a liquidação. Já os idosos (acima de 65 anos) são os que menos irão comprar na data (83,3%).

As roupas são os itens mais desejados, seguido dos eletrônicos

O setor de vestuário será o mais procurado pelos consumidores (28,7%), segundo a pesquisa. Os eletrônicos aparecem em seguida com 13,9%, após vêm os calçados (13%) e os eletrodomésticos (10,2%). Os demais produtos apresentam os seguintes percentuais: perfumes/cosméticos (9,3%); acessórios/bijuterias (6,5%); brinquedos, joias/relógios e roupa de cama, mesa e banho (2,8%); livros, móveis e utensílios domésticos com 1,9%; alimentos, material esportivo, tecido de roupa, vinhos/bebidas e não sabe (0,9%).

A maioria dos consumidores pretende aproveitar as ofertas da Black Friday comprando, em média, até dois produtos (24,2%). A pesquisa também apontou que o mesmo percentual (24,2%) de pessoas ainda estão indecisas, sem saber quantos itens pretendem comprar na data. “Alguns consumidores preferem aguardar as ofertas começarem para então decidir o que irão adquirir com base no que for exposto. Essa decisão é influenciada pelos descontos oferecidos pelas lojas”, explica Ana Paula.

Cartão de crédito será a forma de pagamento mais utilizada

Para a maioria dos entrevistados (49,5%), a forma de pagamento mais utilizada para as compras será o cartão de crédito, com parcelamento em até três vezes. A segunda opção dos consumidores será o dinheiro (26,3%). As demais formas de pagamento citadas foram: compras no débito (15,8%) e a vista no cartão de crédito (8,4%).

Metodologia – Foram entrevistadas 200 pessoas em Belo Horizonte e Região Metropolitana, no período de 02 a 18 de outubro de 2017.

Documentos em Anexo

Pesquisa Black Friday 2017 23/11/2017 - 954 Kb

Notícias Recentes

Minas perde R$ 40 bi com desastres naturais
17/10/2018 -
Leia as principais notícias desta quarta-feira, 17 de outubro.
Inadimplência sobe 1,22% em setembro na capital
17/10/2018 - CDL na Mídia
No mesmo período, o volume de dívidas recuou 3,82%
Taxa média de juros tem 7ª queda seguida, mas ainda é de 123% ao ano
17/10/2018 - Economia
A taxa de juros média para pessoa física apresentou a 7ª queda consecutiva na passagem de agosto para setembro, ficando em 6,91% ao mês (122,96% ao ano) ? a menor taxa de juros desde maio de 2015.
Como os ecossistemas de negócios transformam a China
17/10/2018 - Economia
Muito tem sido falado, escrito e discutido sobre as transformações precipitadas na China, já a maior economia do mundo no critério PPP (Paridade do Poder de Compra), pelo exponencial crescimento da economia digital.

Seja um Associado »

Nossos Produtos

Score de Recuperação Saiba qual a probabilidade de seus clientes inadimplentes pagarem a dívida
Compra de Mailing São listas personalizadas e segmentadas de acordo com perfil desejado para suas campanhas de marketing e outras finalidades
Cliente Espião Saiba qual a percepção os clientes têm da sua loja

... Carregando...