Opinião do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), Marcelo de Souza e Silva, sobre a reunião do Copom


Na terceira reunião do ano do  Comitê de Política Monetária do Banco do Central (Copom) a taxa de juros se manteve em 6,5%, pela nova vez seguida. Esta decisão já era esperada pelo mercado, pois diante da lenta retomada da economia, o Banco Central segue cauteloso, mantendo os juros como estão.  Está decisão não é a melhor para os setores de comércios e serviços e para os demais setores produtivos, pois consideramos que é necessário que medidas sejam tomadas por parte do governo para estimular a economia, uma vez que ainda temos um baixo crescimento da atividade econômica e a redução da taxa de juros poderia contribuir para melhorar esse quadro.

A manutenção da taxa de juros dentro de um contexto econômico que não é dos melhores, com uma parte relevante da população desempregada e com a confiança dos empresários e consumidores apresentando uma retração no primeiro trimestre do ano, pode desacelerar ainda mais a melhora deste quadro, mesmo de que forma indireta. Além disso, a inflação vem apresentando crescimento, mesmo que dentro do centro da meta (Abr/Mar.19 em 4,57% - Abr/Mar.18 em 2,68%), o que impacta no custo de vida da população que tem seu poder de compra reduzido.

Para o varejo, a continuidade da queda dos juros é um fator primordial para fomentar o crédito e o consumo, bem como alavancar a atividade econômica, criando assim, um ambiente favorável para a expansão dos negócios. Ao reduzir a taxa Selic, o crescimento econômico é incentivado, pois os investimentos são estimulados, o que leva a geração de emprego e renda, e consequentemente estimula o consumo das famílias.

Esperamos que nas próximas reuniões do Copom, seja considerada uma nova redução dos juros, pois sabemos que o nosso País ainda tem uma das maiores taxas de juros do mundo, o que retarda o aumento dos investimentos diretos que são essenciais para o Brasil voltar a crescer. Além disso, é imprescindível que o Governo Federal avance em sua agenda de reformas, em especial neste momento, a da Previdência, que são fundamentais para fomentar o crescimento de forma sustentável em longo prazo do País.
 

Notícias Recentes

Inadimplência em Belo Horizonte é destaque entre os assuntos desta quarta-feira
26/06/2019 -
Leia as principais notícias desta quarta-feira, 26 de junho.

Seja um Associado »

Nossos Produtos

Compra de Mailing São listas personalizadas e segmentadas de acordo com perfil desejado para suas campanhas de marketing e outras finalidades
Certificação Digital Possibilita comprovar a identidade de uma pessoa ou empresa, permitindo assinatura digital de documentos eletrônicos
Score de Recuperação Saiba qual a probabilidade de seus clientes inadimplentes pagarem a dívida

... Carregando...