CDL/BH repudia postura cruel e desumana da Prefeitura de Kalil

31/07/2020 - CDL na Mídia

Desde o início da pandemia, o prefeito Alexandre Kalil virou as costas para o comércio. Tomou decisões de forma autoritária e sem diálogo com o setor da nossa economia que mais se sacrificou para salvar vidas, o de comércio e serviços, que representa 72% do PIB da nossa cidade e emprega mais de um milhão de trabalhadores. Tomou decisões arbitrárias e sem coerência até mesmo com a Ciência na qual ele diz tanto se amparar. Nosso sentimento é de indignação. Porém, a notícia da permanência do comércio fechado e sem previsão para reabertura não é nenhuma surpresa. Afinal, Kalil não cumpriu a sua promessa de abrir leitos – 729 de UTI e 1.752 de enfermaria. Promessa que foi feita no início de maio. Caso a promessa do prefeito tivesse sido cumprida, hoje teríamos 52% de taxa de ocupação nos leitos de UTI e 43% nos de enfermaria, índices que permitiriam a reabertura segura do nosso comércio. A fala do Secretário de Saúde do prefeito Kalil, Jackson Machado, na coletiva de hoje foi muito clara. A Prefeitura poderia abrir estes leitos. Mas não investe nessa abertura dos novos leitos e faz a clara opção por manter o comércio fechado.

Enfim, a Prefeitura economiza, mas quem paga a conta é o comércio. Somente lembrando, a Prefeitura recebeu mais de R$ 130 milhões do Governo Federal para investir no combate à doença. O Secretário ainda desdenhou da situação. Falou com um ar de deboche que “mais 15 dias fechado não mata ninguém”, postura bem típica do seu chefe. Trata um assunto tão sério com requintes de crueldade. Chega a ser desumana e tirânica a postura insensível da Prefeitura diante da quebradeira de milhares de negócios em nossa cidade, diante de milhares de trabalhadores perdendo seus empregos e tantas famílias sem o sustento, passando por necessidades. O pior e mais grave de tudo é que nem vidas estão salvando. Nos últimos 30 dias, período em que o comércio ficou fechado, o número de mortes em Belo Horizonte teve um aumento de mais de 300%. Lamentavelmente, passamos de 129 para 528 óbitos.  Belo Horizonte foi a primeira a fechar e será a última a abrir o comércio. É hora de todos refletirem sobre quem é o culpado dessa triste e deprimente situação que vivemos hoje em Belo Horizonte.

Notícias Recentes

Satisfação garantida e seu cliente de volta
20/11/2020 - Apoio ao Comércio
Campanha Selo Loja Segura é adotada por diversos lojistas de Belo Horizonte
20/11/2020 - Apoio ao Comércio
Objetivo da ação foi o de identificar quais estabelecimentos comerciais cumpriam os protocolos de segurança e prevenção contra o coronavírus para oferecer mais segurança e tranquilidade aos consumidores.

Notícias mais Populares

Vistas
Recomendadas
Compartilhadas

Seja um Associado »

Nossos Produtos

Assistência ao Consumidor Assessoria gratuita nas relações entre consumidor e lojista
Jovens Aprendizes o elo entre os jovens em busca da primeira experiência profissional e empresas socialmente responsáveis.
Compra de Mailing São listas personalizadas e segmentadas de acordo com perfil desejado para suas campanhas de marketing e outras finalidades

... Carregando...