Imprensa -

Redução de ICMS sobre etanol pode contribuir para aumento do poder de compra

Sugestão de Pauta

Após a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da gasolina em todo o estado, o governador Romeu Zema anunciou hoje, 18 de julho, a queda da alíquota sobre o etanol. A diminuição do valor do tributo impacta positivamente os setores da economia como indústria, transportes, logística, comércio e serviços que, apesar da inflação, seguem com boas perspectivas de crescimento. 

Essa é a segunda redução de impostos no estado desde o Dia Livre de Impostos, realizado no dia 2 de junho. O movimento, que tem como principal objetivo conscientizar a população sobre a alta carga tributária e também chamar a atenção do poder público para o quanto essa realidade impacta o bolso do consumidor, tem colhido bons frutos e as recentes quedas do ICMS sobre os combustíveis são a prova disso. 

Cada vez mais o poder público entende que o atual sistema tributário do país, apesar de gerar uma grande arrecadação para as contas públicas, reduz o poder de compra das famílias e, consequentemente, toda a cadeia ligada ao consumo fica estagnada. 

Precisamos que os governos implantem uma política de desoneração tributária para que o país possa acelerar sua recuperação econômica. A redução dos impostos sobre os combustíveis em Minas Gerais, certamente, trará alívio para o consumidor e incentivará o consumo em outras vertentes como, por exemplo, o dinheiro economizado no abastecimento pode ser empregado na compra de outro produto ou serviço.

Esse é o melhor caminho a seguir quando falamos em recuperação econômica, crédito para o consumidor e redução da desigualdade do poder de compra das famílias. A CDL/BH seguirá lutando por uma reforma tributária justa e que mude a situação atual, onde os brasileiros trabalham 150 dias por ano somente para pagar impostos. 

Marcelo de Souza e Silva – Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH)  

SEO MUNIZ
Link112