Imprensa -

Artigo – O futuro já é realidade no varejo

Sugestão de Pauta

Enquanto grande parte do mundo imagina como serão os dias que estão por vir, o futuro já é realidade no varejo. Como um setor que vive em constantes e profundas transformações, estar à frente do tempo é rotina para lojistas, empresários e empreendedores. Se muitas áreas ainda vivem a digitalização inicial como e-commerce e redes sociais, o varejo já se adapta a novidades como NFT, Metaverso, 5G e ESG. A mais recente edição da NRF Retail Big Show, maior feira de varejo do mundo, nos mostrou que a inovação é para agora.

Em sua análise pós NRF, o fundador do grupo Pão de Açúcar, Abílio Diniz, disse que “temos que olhar para a inovação. Não estou falando de e-commerce, estou falando de inovação. Eu acho que o setor vai continuar crescendo, mas ele tem que crescer com coisas que realmente surpreendam e encantem o consumidor”. Ou seja, mais que investir em tecnologia, precisamos pensar em como ela será utilizada para encantar e cativar o cliente.

A gigante Walmart, por exemplo, já se inseriu no metaverso. O supermercado ganhou uma loja na nova realidade e os usuários conseguem comprar seus produtos de forma virtual e recebê-los em casa. Todo o processo, desde a seleção dos produtos ao pagamento, é realizado de forma remota e com pitadas de universo gamer. Afinal de contas, quem disse que a compra on-line não deve ser interessante e gerar experiências ao cliente?

Ainda que o consumo digital encante as pessoas com efeitos visuais impactantes, o varejo físico está longe de ter os dias contados. O que temos é uma reinvenção, com espaços cada vez mais interconectados, que oferecem ao cliente experiências, benefícios e se tornam mais que um local de compra.

Grandes empresas ao redor do mundo já transformaram seus espaços físicos em pontos de entretenimento e informação, onde as vendas se tornam consequências. Uma delas é a Nike, que criou a Nike House of Innovation, uma loja altamente tecnológica, onde é possível se aprofundar nas características dos produtos por meio de aplicativo e ações sensoriais. O espaço não possui caixas e o pagamento é feito via app.

A Lalo, especializada em móveis e produtos infantis, oferece um Play Café para as crianças e os pais são presenteados com treinamentos de técnicas para dormir, massagens e outros aprendizados que facilitam o dia a dia com os pequenos.

Entendemos que digital e físico não devem ser concorrentes, mas parceiros. Em breve, com o tão esperado fim da pandemia, a tendência é que as pessoas voltem ao trabalho presencial. As ruas estarão mais cheias, os olhares em busca de novidades. É neste momento que o varejo físico precisa estar preparado para suprir a carência pelo novo, pela experiência.

Obviamente a venda não será excluída, mas precisa ser repensada. Em uma realidade de compras on-line facilitadas e cômodas, é preciso oferecer ao consumidor um motivo para ele sair de casa e ir à sua loja. Portanto, mais do que nunca inovar é preciso.

Marcelo de Souza e Silva

Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH)