Imprensa -

CDL/BH e Hemominas firmam parceria em campanha de doação de sangue

Sugestão de Pauta

Principal hemocentro do estado enfrenta quadro crítico em seu estoque

Os estoques dos bancos de sangue de todo o mundo têm sofrido quedas drásticas com a pandemia de coronavírus. Em Belo Horizonte, a Fundação Hemominas, principal hemocentro da cidade e que também atende o estado, vem sofrendo uma grande queda desde o início do ano. Fortes chuvas e feriados prolongados são alguns dos fatores responsáveis pela redução do estoque. Com a pandemia de Covid-19, o quadro se agravou.

No momento, o estoque da Hemominas está em situação crítica, com cenário ainda mais delicado para os tipos sanguíneos O positivo, O negativo, A positivo, A negativo e B negativo (dados de hoje, 30/11). Ciente desta situação, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), a Fundação CDL e a Rádio CDL se uniram ao hemocentro para lançar a campanha ‘Doe gotas de vida’, de incentivo à doação. A campanha tem  início amanhã, 1º. de dezembro e vai até o dia 15. “Temos mais de 12 mil associados e vamos comunicar diretamente a eles a necessidade de participar desta ação tão nobre e tão necessária para salvar vidas”, afirma o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

O maior desafio para encontrar doadores é a restrição de circulação de pessoas. “Já enfrentamos outras crises, como a epidemia de Febre Amarela em 2017, em que tivemos quedas nos estoques em torno de 40%. Todavia, o enfrentamento era diferente, tivemos uma parte da população inapta em virtude da infecção pela Febre Amarela, mas tínhamos condições de trabalhar com o restante da população que estava saudável e não havia a necessidade restrição de circulação de pessoas”, destaca Thiago Sindeaux, responsável pelo Acompanhamento e Registro na Assessoria de Captação e Cadastro da Hemominas.

Ainda de acordo com Sindeaux, o grande desafio em relação ao coronavírus é o avanço rápido da doença e que requer, como parte da prevenção, o isolamento social. “Sabemos que todos estão ansiosos, cercando-se de cuidados de higiene e evitando sair de casa, como é a recomendação. Entretanto, a demanda transfusional não para e, muitas vezes, não pode esperar. Trabalhamos com todas as medidas de segurança e reforçamos a todos que os hemocentros são locais de pessoas saudáveis, afinal, para doar sangue, a premissa básica é ter e estar com boa saúde”, pontua.

O presidente da CDL/BH destaca a solidariedade e união dos lojistas da capital como atitudes recorrentes do setor. “Nossos comerciantes sabem da importância de ajudar uns aos outros. O comércio de Belo Horizonte sempre se faz presente em campanhas como essa. Todos nós estamos sofrendo com a pandemia e todos têm consciência de que a doação de sangue é um ato de extrema generosidade, que pode salvar várias vidas. Certamente, teremos uma grande adesão do setor”, declara Souza e Silva.

Segurança na doação

Com o objetivo de organizar o fluxo de atendimento e fazer com que as doações de sangue ocorram da forma mais segura possível, a Fundação Hemominas solicita o agendamento on-line, no site (www.hemominas.mg.gov.br) ou pelo MGapp – Cidadão.

As unidades da Hemominas são ambientes seguros – estar saudável é uma condição básica para ser um doador. Atenta às recomendações do Ministério da Saúde, a Fundação intensificou os procedimentos de higienização e prevenção, entre eles: a obrigatoriedade do uso do álcool gel / líquido 70% nas mãos (qualquer doador ou pessoa que entrar nas unidades); as salas de espera das unidades, como as de coleta do sangue, foram reorganizadas de forma a garantir um distanciamento mínimo de 1 metro entre os doadores.

Mais informações em: www.cdlbh.com.br e www.hemominas.mg.gov.br