Imprensa -

CDL/BH questiona por que a PBH não abriu os leitos prometidos

Sugestão de Pauta

A prefeitura afirmou que o processo de reabertura do comércio seria determinado por três fatores: a ocupação de leitos de UTI, a ocupação de leitos de enfermaria e o número de transmissão por infectado. De acordo com o boletim divulgado pela prefeitura nesta sexta-feira, 26 de junho, apenas o índice de ocupação de leitos de UTI está no vermelho. Os outros dois estão no nível amarelo.

No dia 29 de maio, a prefeitura anunciou que poderia criar imediatamente mais 509 leitos de UTI. Que poderia passar de 220 para 729 leitos de UTI exclusivos para a Covid. Disse mais: que poderia passar de 647 para 1.752 os leitos de enfermaria. Fica a pergunta: por que, em vez de novamente sacrificar o comércio, em vez de provocar mais uma quebradeira de empresas e a perda de milhares de empregos, a prefeitura não abre estes leitos?