Imprensa -

Comércio não conseguirá suportar aumento de 20% no caixa com reajuste das passagens de ônibus

Sugestão de Pauta

De acordo com um levantamento realizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), o último reajuste na tarifa dos ônibus municipais elevou os custos dos empresários em 20%. O gasto mensal do comércio da capital com transporte de funcionários chega a R$ 4.851.236,13.

O estudo levou em consideração o total de empresas do setor em Belo Horizonte e a média de funcionários, de acordo com o porte do negócio, para estimar as despesas com o transporte dos trabalhadores. As micro e pequenas empresas são as mais penalizadas pelo reajuste. “Juntas, suas despesas chegam a R$ 4.042.727,33”, afirmou o presidente da CDL/BH, Bruno Falci.

Porte do negócio

Número de estabelecimentos comerciais em BH

Impacto no comércio (R$)

Micro

22.619

1.865.728,22

Pequena

4.026

2.176.999,11

Média

333

454.739,81

Grande

193

353.759,00

TOTAL

27.171

4.851.236,14

 

Segundo o presidente da CDL/BH, o aumento é extremamente prejudicial ao varejo e, além disso, vem em um momento difícil para o setor. “O comércio da capital já vem registrando sucessivas baixas nas vendas”, afirmou.  “Se somarmos esse reajuste com a elevação de outras tarifas como água e luz, o impacto no caixa dos lojistas é ainda maior”, completou.

Cobrança à BHTrans – Na intenção de compreender o reajuste de 9,7% na tarifa do transporte coletivo da capital, a CDL/BH enviou um ofício à BHTrans solicitando a divulgação da planilha de custos que justifique a medida. “Estamos entoado o coro, legítimo, da população que pede a transparência nas contas do órgão municipal”, explicou Falci. “Afinal o aumento das passagens prejudica tanto o empresário, quanto o cidadão”, completou.