Imprensa -

Comércio rejeita retorno da CPMF

Sugestão de Pauta

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), entidade que representa o varejo da capital mineira, é contra o retorno da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) no país. De acordo com presidente da CDL/BH, Bruno Falci, a volta do imposto, se aprovado pelo Congresso Nacional, pode penalizar ainda mais os empresários do comércio.

Para Falci, o retorno do tributo agravará a situação econômica do país. “O varejo da capital já vem registrando queda nas vendas ao longo do ano. Com mais impostos, a situação que já não está boa pode piorar”, explicou. “Não podemos aceitar um novo tributo. A decisão sufocará ainda mais a população brasileira, tanto empresários como trabalhadores”, completou.

Para o presidente da CDL/BH, os cortes anunciados pelo governo ainda são poucos. “A medida não produzirá o impacto necessário para a melhora das contas públicas. A atual crise econômica requer cortes mais robustos”, disse. “O governo precisa é gastar menos do que arrecada e deixar de penalizar a população pela incapacidade em gerir suas receitas ”, finalizou.