Imprensa -

Contratação temporária para Natal cresce em Belo Horizonte

Sugestão de Pauta

Com expectativa de aumento nas vendas no período do Natal e festas de fim de ano, 27,4% dos empresários belo-horizontinos irão contratar funcionários extras em 2019, de acordo com pesquisa realizada pela CDL/BH, com 401 empresários entre os dias 11 e 24 de outubro.

Em relação ao ano anterior houve um crescimento de 46% no percentual de lojistas que pretendem admitir novos empregados. Em 2018, esse índice era de apenas 18,7%. “Essa alta no número de empresas que irão contratar deve-se à melhora do cenário econômico e ao aumento da confiança dos empresários em relação à economia brasileira”, justifica o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

Entre eles, a maioria (82,7%) afirmou que a escala de contratação será igual à de 2018 e 10% que será maior. “Ainda estamos com um número de desempregados muito grande em nosso País, por isso os profissionais devem aproveitar esta oportunidade para buscarem sua recolocação no mercado e quem sabe começar o ano com a carteira assinada”, comenta Souza e Silva. Já os que pretendem realizar um volume menor de contratações totalizam 7,3%.

Os lojistas que mais irão investir em mão de obra temporária são os das Regionais Centro-Sul (41,3%), Venda Nova (40,9%) e Barreiro (35,4%). “Essas são regiões da cidade que possuem centros comerciais fortes, com grande concentração de lojas de diversos ramos, o que justifica os maiores percentuais em relação às outras Regionais”, esclarece o presidente da CDL/BH.

Em 2019 os empresários devem contratar, em média, quatro empregados temporários. Segundo o levantamento, a maior parte dos entrevistados vai admitir dois funcionários (51%). Já 23,5% tem a intenção de admitir entre três e quatro e 14,7% acima de sete colaboradores. Enquanto 10,8% dos lojistas disseram que vão admitir entre cinco e seis novos empregados.

A maior parte dos comerciantes da capital (72,6%) ainda não deve admitir temporários neste ano. “Esse resultado está ligado ao processo de recuperação da economia, que ainda vem ocorrendo em um ritmo menor do que o esperado. Mas já estamos em um ambiente de negócios mais favorável, com aumento nas vendas mês a mês”, acrescenta Souza e Silva.

A principal justificativa para os empresários que não irão contratar é que o quadro atual da empresa atende a demanda da clientela (54%). As demais justificativas são: cenário econômico ruim (22%) e queda nas vendas (13,4%).

 

Chance de efetivação dos empregados temporários é alta na capital

Quem procura uma vaga de trabalho neste fim de ano deve ficar atento, pois o momento é oportuno para quem deseja começar 2020 com um novo emprego. De acordo com a pesquisa, entre os lojistas que irão reforçar suas equipes para o período do Natal, a maioria (60,9%) afirmou que existe grande possibilidade de efetivar os funcionários temporários.

Já 39,1% responderam que a chance de contratação baixa ou muito baixa. “Este alto percentual de empresas que consideram a efetivação dos temporários nos mostra que os empresários enxergam um cenário melhor para 2020 e que podem aumentar seu quadro de funcionários”, comenta o presidente da CDL/BH.

 

89,1% das vagas são para vendedor

A pesquisa mostra também que para garantir um bom atendimento aos clientes no período das festas de fim de ano, 89,1%* das vagas temporárias são para o cargo de vendedor. Em seguida, aparecem as funções de caixa (37,8%), estoquista (20%), repositor (8,2%) e fiscal/vigia (6,4%).

“Para o cargo de vendedor é imprescindível que o candidato seja comunicativo, desenvolto e simpático. Experiência prévia no varejo pode ser considerado um diferencial”, explica Souza e Silva. “Geralmente, o perfil solicitado dos candidatos para as vagas temporárias é que sejam pessoas com idade superior a 18 anos, que tenham disponibilidade de horário – inclusive finais de semana e feriados -, ensino médio completo, boa comunicação, simpatia e boa apresentação”, acrescenta.  *Resposta múltipla

 

Setores que mais irão contratar

Entre os empresários da capital que irão admitir funcionários extras para atender a demanda do melhor período de vendas do ano, os dos setores de cosméticos e perfumaria (43%), vestuário e calçados (39%) e produtos alimentícios e supermercados (10%) são os que mais pretendem contratar. “Esses setores estão entre os que o movimento mais aumenta no final do ano, por isso a necessidade de mais mão de obra”, comenta o presidente da CDL/BH.

 

Como as vagas serão conhecidas

A maior parte dos empresários ouvidos afirmou que a divulgação e preenchimento das vagas temporárias será por meio de indicação (59,1%)*. Os demais meios serão: análise de currículo (18,2%); redes sociais (14,5%); boca a boca (13,6%) e internet/sites de emprego (10%). *Resposta múltipla

 

Dificuldade na hora da contratação

A falta de profissionalismo e responsabilidade dos funcionários são as principais dificuldades enfrentadas pelos empresários na hora da contratação dos temporários, conforme 36,4% dos entrevistados.

“O empregado temporário deve saber aproveitar a oportunidade e demonstrar comprometimento com o trabalho, atendendo bem a clientela e fazendo boas vendas. Com isso ele aumenta suas chances de uma possível indicação ou efetivação”, aconselha Souza e Silva.

Os demais obstáculos citados foram: a falta de experiências dos candidatos (18,2%); falta de capacitação dos candidatos (17,3%); processo seletivo (7,3%); custos (2,7%) e dificuldade em lidar com a comissão (0,9%). Já 24,5% dos lojistas afirmaram não ter nenhuma dificuldade na contratação e 3,6% não souberam responder.

 

Metodologia – Foram entrevistados 401 empresários de Belo Horizonte nos principais corredores comerciais, no período de 11 a 24 de outubro 2019.