Imprensa -

Dia das Mães atendeu às expectativas do comércio na capital

Sugestão de Pauta

Pesquisa da CDL/BH revela que abertura das lojas, sem restrições, impulsionou vendas da data. Vestuário liderou a lista de presentes

Para a maioria dos comerciantes da capital (53,9%) a venda do Dia das Mães satisfez as expectativas. De acordo com levantamento da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), para 92,9% dos lojistas, a abertura do comércio, sem restrições sanitárias, foi o principal motivo para alavancar as vendas. A divulgação dos produtos aparece em segundo lugar, com 35,7% e promoções em terceiro, com 7,1%.

Confirmando as pesquisas anteriores, o vestuário liderou as vendas com 23,1%. Os demais presentes foram:

•          Calçados/Acessórios: 21,4%

•          Perfumes e Cosméticos: 19,2%

•          Utensílios (cama, mesa e banho): 11,5%

Segundo os lojistas, o pagamento à vista no cartão de crédito foi a principal forma de pagamento, representando 46,2%.  As demais opções foram:

•          Parcelado no cartão de crédito: 30,8%

•          Cartão de débito: 19,2%

•          Pix: 3,8%

Questionados sobre os fatores que prejudicaram as vendas, 66,7% dos comerciantes afirmam que a inflação foi a grande vilã da data. Diminuição da renda e inadimplência aparecem empatadas com 33,3%.

“Apesar do ambiente inflacionário, o balanço para a data é bastante positivo. As lojas permaneceram cheias às vésperas do Dia das Mães e sentimos o consumidor mais esperançoso com o segundo semestre. O controle da pandemia e a geração de empregos na capital, certamente, terão reflexos positivos nos próximos meses e essa data funcionou como um termômetro” afirma o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.