Imprensa -

Governo de Minas atende solicitações da CDL/BH

Sugestão de Pauta
Dois anúncios feitos ontem, segunda-feira, pelo governo de Minas Gerais podem dar um fôlego extra aos setores de comércio e serviços e aos servidores do Estado.

 

O primeiro deles veio por meio da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), que informou que imóveis residenciais, comerciais e prestadores de serviços essenciais, que foram atingidos de alguma forma pelas fortes chuvas de janeiro, terão isenção de pagamento das contas de água e esgoto.

 

Esse pedido atende ofício enviado ao governador Romeu Zema no dia 29 de janeiro pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) juntamente com demais entidades que integram o Conselho Estratégico de Defesa do Empresário (Cede).

 

No ofício, as entidades solicitaram também ao governo estadual a prorrogação do ICMS e do Simples das empresas afetadas pelas intensas chuvas que atingiram Minas Gerais, além de linhas de crédito diferenciadas via Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG).

 

O presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva, comemora a decisão do governo Zema. “Nosso objetivo é o de ajudar os empresários que sofreram prejuízos com as chuvas”, disse. 

 

Prejuízo dos empresários – Sondagem realizada pela CDL/BH nas quatro regionais mais atingidas pelos fortes chuvas dos últimos dias e apresentada ontem, em reunião com o governador Romeu Zema, apontou que 2.516 estabelecidos foram impactados. A entidade ouviu 250 empresários do total dos atingidos e o resultado foi: 51% contabilizaram perdas financeiras e o prejuízo médio de cada um deles foi de R$ 16.405,30.

 

Fim do parcelamento dos salários – O segundo anúncio feito pelo governo prevê o pagamento do décimo terceiro dos servidores em março e o fim do parcelamento dos salários a partir do mês de abril.

 

“Para os setores de comércio e serviços, para os mineiros e para todo o Estado, é muito importante que o funcionalismo receba os salários e o décimo terceiro em dia”, disse Souza e Silva.

 

O governo de Minas disse que, de abril a setembro, o pagamento do salário acontecerá regularmente no quinto dia útil de cada mês, e não mais em parcelas, como ocorre atualmente.