Imprensa -

Governo do Estado, em parceria com a CDL/BH, lança ‘A Vez Delas’, programa de empregos para vítimas de violência doméstica

Sugestão de Pauta

A partir de hoje, empresas interessadas em acolher e empregar mulheres em vulnerabilidade social poderão cadastrar as vagas disponíveis em plataforma virtual

O governo de Minas Gerais lançou hoje, 1º, ‘A Vez Delas’, um programa de empregos voltado para mulheres vítimas de violência doméstica. O lançamento foi realizado na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), parceira do Estado nesse programa, e contou com as presenças do governador Romeu Zema, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, das Polícias Militar e Civil, Defensoria Pública do Estado, Assembleia Legislativa e outros órgãos e entidades da sociedade civil.

O ‘A Vez Delas’ nasceu do projeto de Lei 176/2019, proposto pela deputada estadual Ana Paula Siqueira (REDE) e, a partir de hoje, está disponível para que as empresas interessadas possam cadastrar as vagas disponíveis. A Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedese) é a responsável pela execução do programa. A CDL/BH está fazendo a ponte entre as empresas do setor de comércio e serviços da capital com o programa.

“Lamentavelmente, em pleno século XXI, nossa sociedade ainda não conseguiu superar esta triste realidade, que é a violência contra a mulher. Oferecer às mulheres vítimas de violência uma oportunidade de emprego e, consequentemente, uma independência financeira, é uma das saídas para que o ciclo de agressões seja rompido. E, felizmente, diversos estabelecimentos de todos os portes já demonstraram interesse e disponibilidade para abraçar essa causa tão nobre”, declarou o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

“A violência doméstica contra a mulher é um dos principais problemas sociais do país. Sabemos que por conta do desemprego, as vítimas não conseguem sair desse ambiente de agressão. O ‘A Vez Delas’ será uma oportunidade para que essas mulheres resgatem a autoestima, retomem a vida e possam sair desse cenário violento”, destacou o governador, Romeu Zema.

O presidente da CDL/BH destacou ainda que a abertura do programa acontece em boa hora, pois a economia da capital está reaquecendo e, com isso, mais oportunidades de empregos serão geradas. “O governo estadual escolheu o momento mais oportuno para o lançamento deste programa de empregos. Afinal, a cidade vivencia um momento de retomada econômica. A estabilidade dos indicadores da pandemia e o avanço da imunização estão permitindo que a economia de nossa capital trilhe o caminho da recuperação para voltar a gerar mais emprego e renda para a nossa gente”, enfatizou.

Projeto foi lançado na sede da CDL/BH

A deputada estadual Ana Paula Siqueira destacou a importância do programa “A violência doméstica e familiar ainda é naturalizada no nosso país por uma questão cultural, e é por isso que o combate a esse crime passa pelo processo de educação, e pela proposição de políticas públicas que envolvam toda a sociedade. O combate e a eliminação da violência contra a mulher é uma responsabilidade de todos nós, poder público, Executivo, Legislativo, Judiciário, sociedade civil e iniciativa privada. O empenho e a sensibilidade da CDL/BH, que tem na sua essência o compromisso social, é parte fundamental na efetivação desta política pública”, afirmou a parlamentar.

Ana Paula Siqueira destacou ainda que, em média, são registrados 400 boletins de ocorrência por dia no Estado. “A pesquisa Data Senado mostra que a dependência financeira é a segunda razão mais apontada, com 27%, para que as mulheres não denunciem seus agressores. O mesmo estudo revela que 34% das vítimas dependem economicamente de seus agressores. O emprego representa mais do que uma renda. O trabalho é uma oportunidade de um recomeço com autonomia, dignidade e a liberdade de escolha”, comentou.

Rede de Enfrentamento

A secretária estadual de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá, afirmou que as vagas de emprego serão oferecidas via Rede de Enfrentamento, uma plataforma virtual onde as vítimas de violência podem cadastrar seus currículos e as empresas que aderirem ao programa ‘A Vez Delas’ ofertar as oportunidades de emprego. “O objetivo é investir na liberdade financeira dessas mulheres para que elas tenham autonomia econômica e social para se livrar dos agressores. Além disso, iremos também oferecer às empresas interessadas cursos de aprimoramento aos setores de recursos humanos, para que eles tenham a sensibilidade necessária para assistir essas mulheres”, adiantou Elizabeth.

CDL/BH no combate à violência contra a mulher

Além de ser uma das condutoras do ‘A Vez Delas’, a CDL/BH também é parceria do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) no programa ‘Selo Mulheres Libertas’, que certifica ações de pessoas físicas e jurídicas, com atuação no setor público ou privado, e iniciativas da sociedade que contribuem para a prevenção, o combate e a punição da violência praticada contra as mulheres.

No mês de outubro, em parceria com a Polícia Civil, a entidade lançou a campanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica, que consiste em incentivar as mulheres a romper o ciclo de violência. A campanha propõe que a mulher que esteja sofrendo algum tipo de violência e esteja impossibilitada de procurar uma unidade policial, possa apresentar um sinal (X) na palma da mão, preferencialmente na cor vermelha, para um funcionário ou atendente de estabelecimentos comerciais para que este acione a polícia. “Estamos contribuindo efetivamente para enfrentar esse terrível cenário de violência contra a mulher que, na grande maioria dos casos, é invisível e silencioso. É inadmissível convivermos com essa barbárie. Acabar com a violência doméstica significa mais do que proteger a mulher. É uma evolução da sociedade. É um avanço em nossa civilização”, finalizou Marcelo de Souza e Silva.