Imprensa -

Programa Emprego e Trabalho, da Fundação CDL-BH, oferece vagas para jovens de 15 a 20 anos

Sugestão de Pauta

O contrato tem duração de 11 ou 16 meses e as áreas de atuação 

são auxiliar administrativo, logística e comércio

Jovens de 15 a 20 anos que desejam atuar como jovem aprendiz no Programa Emprego e Trabalho (PET), da Fundação CDL-BH, braço social da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), podem se inscrever para o processo seletivo. As inscrições podem ser feitas no site https://bit.ly/3nQvgmB e duram o ano todo.

As vagas são para trabalhar cinco dias na semana, sendo que quatro dias são de prática na empresa e um dia de curso teórico. O contrato tem duração de 11 ou 16 meses e as áreas de atuação são auxiliar administrativo, logística (almoxarife) e comércio.

Para se candidatar, é preciso que o jovem possua carteira de trabalho física ou digital, pois a mesma será assinada pela empresa contratante; Ensino Médio concluído ou cursando a partir do 9º. ano em escola pública, residir em Belo Horizonte ou Região Metropolitana e renda per capta familiar de até um salário mínimo.

“Desde o início do programa, em 1999, mais de 21 mil jovens foram capacitados pelas oficinas introdutórias e quase 12 mil, ou seja, 56% foram inseridos no mercado de trabalho como aprendizes. Temos uma excelente taxa de efetivação, com cerca de 30% sendo contratados pelas empresas após o período de aprendizagem”, destaca o presidente da Fundação CDL-BH, Vilson Mayrink.  Somente este ano, o programa já recrutou, até o fim do mês de maio, 1.276 jovens aprendizes em Belo Horizonte e Muriaé, na Zona da Mata. 

Benefícios do programa

Os jovens selecionados para o contrato de 11 meses, terão carga horária de trabalho de seis horas diárias e salário de R$ 854,04. Já os que ingressarem no contrato de 16 meses, irão trabalhar quatro horas por dia e terão remuneração de R$ R$ 569,36. Os dois modelos de contrato oferecem benefícios como 13º salário, vale-transporte e seguro de vida. A carteira de trabalho é assinada pela empresa contratante. 

Processo de seleção

A ingressão no PET é composta por palestra, entrevista socioeconômica, oficinas introdutórias para o mercado de trabalho, registro no banco de talentos, encaminhamento para entrevistas nas empresas parceiras e contratação. 

O cadastro não garante a vaga de emprego e o processo de seleção ocorre de acordo com a demanda do mercado de trabalho, não por ordem de inscrição. A Fundação CDL-BH não cobra taxas de participação. 

Empresas podem participar e se adequarem à legislação 

De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, estabelecimentos de qualquer natureza, que tenham pelo menos sete empregados, são obrigados a contratar aprendizes, de acordo com o percentual exigido por lei (Art. 429 da CLT), sendo 5%, no mínimo, e 15%, no máximo. Esse valor é calculado sobre o total de empregados cujas funções demandam formação profissional.  Diante da exigência legal da Lei da Aprendizagem (Lei 10.097/2000), a Fundação CDL-BH, presta suporte para a contratação dos aprendizes, fornecendo apoio e capacitação tanto para as empresas quanto para os jovens. 

“A empresa parceira do Programa Educação e Trabalho, além de cumprir a legislação, também contribui para a formação profissional dos jovens e, principalmente, exerce a responsabilidade social, cumprindo seis dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, previstos na Agenda 2030”, alerta Mayrink. 

Segundo o presidente da entidade, os objetivos alcançados ao participar do PET são educação de qualidade, trabalho decente e crescimento econômico, redução das desigualdades, parcerias em prol das metas, Fome Zero e erradicação da pobreza. 

Ainda segundo Mayrink, as empresas participantes também têm benefícios como redução do FGTS de 8% para 2%, zero custo de recrutamento e seleção, acompanhamento e avaliação do aprendiz. 

Sobre o PET

O Programa Educação e Trabalho foi criado em 1999. É um programa técnico-profissional que prevê a execução de atividades teóricas e práticas através da lei da aprendizagem.  As atividades teóricas são aquelas desenvolvidas na entidade formadora, a Fundação CDL-BH, em parceria com instituições de ensino, como a Faculdade Pitágoras, e profissionais especializados e atuantes no mercado de trabalho. Já as atividades práticas são aquelas realizadas na empresa parceira. Desde o início do PET, 766 estabelecimentos, dos mais diversos segmentos, fizeram parte do programa. 

Mais informações estão disponíveis no site: https://www.fundacaocdlbh.org.br/ e pelo telefone: (31) 3226-8880

SEO MUNIZ
Link112