Imprensa -

Maioria dos consumidores da capital mineira vai presentear no Dia das Mães

Sugestão de Pauta

Pesquisa da CDL/BH revela que o preço médio dos presentes deverá ser de R$ 126,61, valor 21,1% maior em relação ao ano de 2021. Roupas, calçados e perfumaria lideram a lista de compras

Os belo-horizontinos estão dispostos a presentear neste Dia das Mães. De acordo com pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) com consumidores da capital mineira, 68% afirmam que pretendem homenagear as mães na data.

“O consumidor tem se mostrado mais positivo em relação à comemoração do Dia das Mães. A flexibilização do isolamento social vai permitir que os tradicionais almoços da data possam acontecer. Com isso, a tendência é que o consumo aumente”, analisa o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

O crescimento de 21,1% no valor do tíquete médio deste ano, em comparação ao de 2021, vai ao encontro da fala do dirigente. Para 2022, os consumidores pretendem investir, em média, R$ 126,61 nos presentes, sendo que a maioria (56,9%) deve adquirir um item; 29,9% disseram que vão comprar dois presentes; 6,6% vão levar para casa três produtos e 3,6%, quatro itens.

Mães devem renovar o guarda-roupa

A lista de compras do consumidor é semelhante à perspectiva dos lojistas, já que a maioria dos filhos (44,3%) pretende comprar roupas; 25% disseram que vão presentear com calçados; 17,1% com perfumes ou hidratantes e 15% vão dar flores ou plantas.

Na análise por categoria, o investimento dos filhos deverá ser:

·         Calçados – R$ 126,43

·         Perfumes ou hidratantes – R$ 125

·         Roupas – R$ 118,55

·         Flores ou plantas – R$ 103,57

Ao serem questionados sobre o que influencia na escolha do presente, a maioria (68,6%) afirma que é o desejo da pessoa a ser presenteada. A qualidade do produto surge em segundo lugar, com 15%; preço, desconto e promoção empatam com 6,4% e a sustentabilidade do produto surge com 1,4%.

Pagamento à vista

Assim como preveem os lojistas, os consumidores também querem evitar dívidas. Por isso, o pagamento à vista será a preferência da maioria dos entrevistados (78,6%). Já a maioria das compras parceladas serão divididas em até duas vezes.

Os pagamentos aparecem da seguinte forma:

·         Cartão de débito – R$ 28,6%

·         À vista no cartão de crédito – 25%

·         Dinheiro – 22,9%

·         Parcelado no cartão de crédito – 20,7%

Compras em lojas físicas

52,1% dos consumidores entrevistados disseram que pretendem comprar os presentes em lojas físicas, sendo que 25,7% irão a estabelecimentos de rua em centros comerciais; 24,3% a shopping centers e 2,10% nas lojas de bairro. As compras pela internet devem ser a escolha de 32,9%. A aquisição com pequenos comerciantes autônomos representa 12,1% e a Feira Hippie, 0,7%.

“Um comportamento cada vez mais comum entre os consumidores vem sendo a pesquisa dos produtos na internet e a efetivação da compra no ambiente físico. Por isso, é extremamente importante que o lojista esteja presente nesses dois canais e em ambos ofereça uma experiência positiva para o cliente”, aconselha o presidente da CDL/BH.

Após dois anos de isolamento, as reuniões em datas comemorativas são uma excelente oportunidade para reaproximar as famílias. Com este pensamento, 55,3% dos entrevistados afirmam que vão realizar uma comemoração neste Dia das Mães. Sendo que a maioria (49,5%) vai promover um almoço em casa; 5,3% irão a restaurantes durante o almoço e 0,5% durante o jantar.

Atendimento e preço: vilões e mocinhos ao mesmo tempo

Quando questionados sobre quais fatores são atrativos e limitadores na hora da compra, bom atendimento e preço aparecem nas primeiras posições em versões positiva e negativa.

Um bom atendimento influencia a compra de 57,1% dos consumidores, bem como um preço atraente é determinante para 55,7%. Em contrapartida, o mau atendimento faz 47,1% dos clientes desistirem da compra e 42,9% são impactados negativamente pelo alto preço.

Dentre as demais atrações listadas pelos consumidores que favorecem uma compra estão:

·         Qualidade do produto – 30,7%

·         Promoções e sorteios – 21,4%

·         Educação e cortesia dos funcionários – 14,3%

·         Agilidade no atendimento – 12,9%

 Já as demais dificuldades que prejudicam uma compra são:

·         Lojas muito cheias – 31,4%

·         Pouca vaga de estacionamento – 17,1%

·         Pouca variedade de produtos – 17,1%

·         Baixa qualidade dos produtos – 12,9%