Imprensa -

Mais da metade dos namorados deve presentear no dia 12

Sugestão de Pauta

Movimentações em torno da data devem injetar R$ 2,13 bilhões na economia da capital, segundo pesquisa da CDL/BH. Levantamento aponta ainda que tíquete médio será de R$ 200

Além de apaixonados, os casais de namorados da capital mineira também estão dispostos a presentear no dia 12 de junho, data em que o amor entre os casais é celebrado no país. Um levantamento da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), realizado entre os dias 9 e 23 de maio, aponta que 53% dos namorados devem presentear neste dia. Com isso, a economia da capital deve receber uma injeção de R$ 2,3 bilhões ao longo do mês. Esse montante representa um crescimento de 1,52% em comparação ao mesmo período do ano passado. 

Os namorados devem investir, em média, R$ 200 nos presentes, sendo que a maioria (94,6%) deve comprar apenas um item. O valor é 42% maior que o observado em 2021, quando o tíquete médio foi de R$ 140,87. 

“Com a retomada dos compromissos sociais, o comércio vem sendo aquecido nas datas comemorativas. Prova disso é uma previsão mais positiva que a do último ano, quando ainda enfrentávamos um cenário pandêmico mais delicado. As pessoas querem recuperar o tempo perdido e celebrar todas as datas. Felizmente, isso reflete positivamente no comércio”, avalia o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva. 

Roupas e calçados lideram a intenção de compras

Segundo a pesquisa, os itens de maior procura para a data comemorativa serão roupas (36,9%) e calçados (17,7%). Em seguida aparecem: 

Cosméticos – 13,1%

Acessórios – 7,7%

Bombons – 6,2%

Flores – 5,4%

Bebidas e livros – 1,5% (cada)

Outros – 10,1% (Material esportivo (0,8%), Cesta de presentes (0,8%), Bolsa/malas/mochilas (0,8%), Não sabem (7,7%)

Ao serem questionadas sobre qual item devem priorizar na compra, as mulheres disseram que roupas (65%) e calçados (35%) devem liderar a lista. Já os homens, afirmam que preferem presentear com chocolates (50%), acessórios (33,3%) e flores (16,7%). Para comprar esses presentes, as mulheres devem desembolsar, em média, R$ 175 e os homens, R$ 143,33. 

Pagamento à vista

Assim como nas datas comemorativas anteriores, no Dia dos Namorados, a maioria dos consumidores (86%) também deve optar pelo pagamento à vista para evitar dívidas futuras. 

Nesta modalidade, as principais formas de pagamento deverão ser:

  • Cartão de débito: 22,7%
  • Dinheiro: 18,8%
  • Transferência eletrônica (PIX, Ted ou Doc): 3,1%
  • Boleto: 1,6%

13,3% dos consumidores devem optar pelo pagamento parcelado no cartão de crédito, com média de duas a três parcelas. 

Compras nas lojas físicas

O levantamento da CDL/BH aponta que o varejo físico deve registrar um crescimento de 8,7% nas vendas em comparação ao mesmo período do ano passado. Já o e-commerce pode crescer 5%.  

54,6% afirmam que vão comprar os presentes nas lojas físicas (shopping center, lojas de rua em bairro, loja de rua no Centro da capital). As compras na internet devem representar 30,8%. Pequenos comerciantes autônomos, 9,2%; Os comércios de serviços essenciais, 2,3%; Não sabe, 2,3% e Feira Hippie, 0,8%. 

91% dos entrevistados afirmam que ainda não realizaram as compras e apenas 9% já anteciparam. 

“Tradicionalmente o consumidor brasileiro tem o costume de realizar suas compras próximo às datas. Por isso, é fundamental que os lojistas estejam preparados para um aumento do fluxo de compradores na próxima semana, especialmente aos sábados, quando a maioria das pessoas têm maior disponibilidade de ir às compras”, aconselha Souza e Silva. 

Dentre os namorados que irão comemorar a data, o gasto médio deverá ser de R$233. Segundo os entrevistados, as celebrações devem ser:

  • Jantar em restaurante: 34%
  • Almoço em casa: 29%
  • Cinema/Teatro: 13%
  • Almoço em restaurante: 12%
  • Motel: 5%
  • Hotel/Pousada: 2%
  • Lanchar fora: 2%
  • Viagem: 2%

Fácil acesso e bom preço são determinantes para compra

Quando questionados sobre os principais fatores que influenciam as compras, os entrevistados disseram que preço competitivo e fácil acesso são os principais. 

Confira: 

  • Preço: 20%
  • Conforto e acessibilidade: 29,3%
  • Proximidade do estabelecimento à residência: 19,2%
  • Proximidade do estabelecimento ao local de trabalho: 7,7%
  • Diversidade de lojas próximas: 8,5%
  • Confiança: 8,5%
  • Segurança: 6,9%

Em contrapartida, os fatores que podem atrapalhar as compras na data são:

  • Atendimento ruim: 57%
  • Preço alto: 20%
  • Lojas cheias: 10% 

Lojistas animados

Em pesquisa realizada com os comerciantes da capital, entre 25 de abril e 13 de maio, a CDL/BH constatou que 72% dos lojistas estão animados com as vendas do Dia dos Namorados, sendo que 68% acreditam que será melhor e 4%, muito melhor. 

Para atender a demanda, 58% irão reforçar o estoque e investir na divulgação dos produtos e ações. 

“Nossa recomendação é que os empresários adotem um planejamento estratégico focado em atrair novos clientes e ações para fidelizá-los. O ideal é que os lojistas invistam na divulgação de seus produtos, promoções e benefícios. Isso vai contribuir para que os obstáculos do cenário econômico desfavorável sejam superados”, finaliza Marcelo de Souza e Silva.