Imprensa -

Metade dos empresários da capital espera vender mais no Dia dos Pais

Sugestão de Pauta

Os empresários de Belo Horizonte estão otimistas com as vendas do Dia dos Pais deste ano. Segundo pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) com 396 lojistas no período de 24 de junho a 10 de julho, a maior parte dos empresários entrevistados (57,9%) acredita que as vendas irão aumentar no Dia dos Pais. No ano passado este percentual era 13,8 pontos percentuais menor (44,1%). A expectativa positiva em relação a data é reflexo da leve melhora que o cenário econômico apresentou em relação ao mesmo período do ano passado e da retomada da confiança dos empresários. “Sabemos que a economia ainda não apresentou o ritmo de crescimento esperado para este ano, mas estamos em uma situação mais favorável em relação ao mesmo período de 2018, quando a confiança dos empresários sofreu uma queda considerável devido a greve dos caminhoneiros e a incerteza eleitoral”, explica o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva. “A perspectiva da aprovação da reforma da Previdência e as políticas econômicas de curto prazo que estão sendo tomadas pelo governo federal, e a queda da taxa de desemprego na capital devem aquecer a economia no segundo semestre e contribuíram para o otimismo dos varejistas”, justifica Souza e Silva. Já 30,2% dos entrevistados esperam que as vendas sejam iguais as de 2018 e 11,9% consideram que o resultado deve ser pior.

A estimativa da CDL/BH é que em função das vendas, o comércio da capital apresente em agosto um crescimento de 1,33% em relação ao mesmo mês do ano passado. Com isso um montante de    R$ 1,82 bilhão deve ser injetado na economia da cidade. “O Dia dos Pais é a primeira data comemorativa do segundo semestre e deve ajudar a movimentar o varejo da capital em agosto. Todas as datas comemorativas são excelentes oportunidades para os empresários prepararem as lojas e oferecerem a melhor experiência de compra para seus clientes, fomentando as vendas”, comenta Souza e Silva.

Em relação ao estoque, 39,7% dos empresários entrevistados devem aumentar o volume em relação ao ano passado. Já 49,6% responderam que deverão manter a mesma quantidade e 10,7% devem reduzir o estoque. Os lojistas que mais investiram em mercadorias para as vendas do Dia dos Pais estão, respectivamente, nas regionais Norte, Barreiro e Pampulha.

Roupas, calçados, e itens de perfumaria serão os presentes mais procurados para os pais

De acordo com os entrevistados, os produtos que terão a maior saída neste Dia dos Pais devem ser as roupas (28%), os calçados (15,9%) e os perfumes e hidratantes (13,6%). “A escolha por estes presentes se justifica pela grande variedade de produtos e preços, o que facilita no momento da compra”, explica o presidente da CDL/BH. Também estão entre os principais produtos citados*: itens de decoração (8,6%); acessórios (6,6%); produtos personalizados (5,1%); material esportivo (3,8%) e vinhos (3,5%). *Resposta múltipla

Em relação a quantidade de presentes, a maior parte dos empresários (75,8%) acredita que os consumidores devem adquirir apenas um item. “Este resultado indica que os lojistas estão percebendo que os seus clientes continuam receosos em efetuar grandes compras e contrair dívidas, limitando as compras a apenas um presente”, afirma Souza e Silva.

Tíquete médio esperado apresenta redução de 12,2% em relação a 2018

Os empresários acreditam que os consumidores irão investir um valor menor este ano no presente do Dia dos Pais. A expectativa é que o tíquete médio das compras dos belo-horizontinos seja de    R$ 106,79. Em 2018 o valor esperado era de R$ 121,63, o que representa uma redução de 12,2%. “Assim como em outras datas comemorativas, o que se tem visto é que as pessoas estão buscando presentear, mas sem comprometer o seu orçamento, por isso o valor menor”, explica o presidente da CDL/BH.

Apesar do tíquete médio ultrapassar os R$ 100, a maior parte dos entrevistados (38,4%) espera que os consumidores adquiram itens de até R$ 50.  Outros 29% acreditam que o valor será de       R$ 50,01 a R$ 100. A pesquisa também mostra que o valor a ser desembolsado pelo consumidor pode variar conforme o tipo de presente escolhido. Segundo os empresários, quem for presentear com  acessórios (carteiras, cintos, relógios e óculos) vai desembolsar o maior valor (R$ 162). O custo com material esportivo deve girar em torno de R$ 151,67 e dos calçados em R$ 128,57. Em seguida aparecem: vestuário (R$ 107,73); perfumes/hidratantes (R$ 89,81); produtos personalizados (R$ 56,25) e itens de decoração (R$ 52,21).

Cinco em cada dez empresários esperam que as compras dos presentes do Dia dos Pais sejam pagas à vista

Para a maioria dos empresários (59,3%), a forma de pagamento mais utilizada para as compras do Dia dos Pais será à vista, sendo realizada da seguinte forma: à vista no cartão de crédito (27,5%); cartão de débito (26,5%); dinheiro (4,5%) e à vista no cartão da própria loja (0,8%). As demais formas de pagamento citadas pelos empresários foram: parcelado no cartão de crédito (38,4%); parcelado no carnê/crediário (1,8%) e parcelado no cartão da própria loja (1%).

Divulgação dos produtos pelas redes sociais será a principal estratégia para alavancar as vendas

Na opinião de 76,5% dos comerciantes, a divulgação dos produtos será a estratégia mais utilizada para alavancar as vendas no Dia dos Pais. E o principal meio utilizado para isso será o Intagram. Para 62,9% dos lojistas, essa rede social tem sido a forma mais eficiente para expor os itens e chegar até os consumidores. “Os empresários estão cada vez mais inseridos no mundo digital e aproveitando a facilidade que a internet proporciona para impulsionar as vendas pelas redes sociais”, justifica o presidente da CDL/BH. As demais estratégias citadas para atrair clientes foram*: decoração da loja (31,8%); promoção/oferta (24,5%); atendimento qualificado (21%) e flexibilidade na forma de pagamento (20,7%). *Resposta múltipla

Além do Instagram, as outras formas de divulgação que os comerciantes pretendem utilizar são: adesivo na vitrine da loja (40,9%); Whatsapp (15,2%); Facebook (13,6%) e boca a boca (13,1%). E 15,7% dos empresários não farão nenhum tipo de divulgação. *Resposta múltipla

O que pode ajudar ou prejudicar as vendas no Dia dos Pais

Na opinião dos comerciantes, entre os fatores que podem contribuir para aumentar as vendas no Dia dos Pais estão: liquidação/oferta de produtos (45,4%); divulgação dos produtos (13,5%); aumento do emprego (10,2%); atendimento qualificado (6,7%) e flexibilidade na forma de pagamento (6,5%).

Em contrapartida, as opções citadas na pesquisa que podem prejudicar as vendas, segundo os lojistas, são: desemprego (29%); falta de agilidade e cordialidade no atendimento (23,7%); crise econômica (10,2%); falta de dinheiro (6,8%) e aumento do preço dos produtos (6,3%).

Metodologia – Foram entrevistados 396 empresários de Belo Horizonte, no período de 24 de junho a 10 de julho de 2019.