Imprensa -

Número de dívidas dos consumidores da capital cai em Janeiro

Sugestão de Pauta

A melhora do cenário econômico tem possibilitado que os belo-horizontinos reduzam o número contas em atraso. De acordo com Indicador de Dívidas em Atraso da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), em janeiro deste ano, o número de dívidas registrou queda de 3,56% na comparação com o mesmo mês de 2018. “Estamos em um ambiente melhor do que em outros anos. Os indicadores macroeconômicos (inflação, juros) estão em patamares menores, o que tem contribuído para que parte da população regularize suas pendências e quitem algumas contas atrasadas, reduzindo assim o número de débitos”, afirma o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva. “Essa queda das dívidas, que vêm sendo apresentada desde março de 2017, é positiva para o comércio, pois permite que os consumidores possam, aos poucos, voltar ao mercado de consumo de bens de maior valor agregado e que demandam crédito”, acrescenta. Na variação mensal (Jan.19/Dez.18), também houve decréscimo de 1,5%.

Na análise por faixa etária, a maioria das dívidas registradas ocorreu entre as pessoas de 65 a 94 anos (+14,1%). “Muitas pessoas desta faixa etária são as responsáveis financeiramente pelas famílias, sentindo mais no bolso os reflexos do aumento do custo de vida. Muitas, inclusive, vivem apenas com a renda da aposentadoria e têm que arcar com um número elevado de despesas” esclarece Silva.

Inadimplência recua na variação mensal

Em janeiro, na variação mensal (Jan.19/Dez.18) houve um recuo de 0,41% no número de inadimplentes entre os consumidores da capital. Esse foi o primeiro ano, desde 2011, que este indicador apresenta queda nesta base de comparação. “Essa queda da inadimplência confirma a melhora do ambiente econômico. Aos poucos o desemprego vem diminuindo e com isso as pessoas têm mais renda disponível para pagar suas contas e evitar a inadimplência”, comenta o presidente da CDL/BH. Já na comparação anual houve um leve acréscimo de 0,04% na inadimplência entre os belo-horizontinos.

A maioria dos consumidores inadimplentes são os com idade entre 65 a 94 anos (+17,01%). A análise segmentada por gênero mostra que o endividamento entre as mulheres (-0,27%), mesmo apresentando decréscimo, está em menor intensidade de queda em relação aos homens (-1,29%). “A taxa de desemprego ainda é maior entre o público feminino, com isso elas possuem menos renda para quitar seus débitos em atraso”, explica o presidente da CDL/BH. “Além disso, o rendimento médio das mulheres é 38,45% menor que dos homens”, acrescenta.

Ritmo de crescimento do número de dívidas e da inadimplência das empresas desacelera em janeiro

O indicador de dívidas de pessoas jurídicas em atraso junto ao SPC da CDL/BH apresentou em janeiro, na comparação com o mesmo mês do ano anterior (Jan.19/Jan.18), alta de 2,63%. Embora tenha apresentado aumento nessa base de comparação, o indicador vem crescendo em ritmo mais lento em relação aos anos anteriores. “A economia do País vem se recuperando de forma gradual, assim como as empresas, que, aos poucos, vão conseguindo organizar suas finanças, aumentar sua capacidade de pagamento e reduzir o número de dívidas”, comenta o presidente da CDL/BH. Na variação mensal (Jan.19/Dez.18), o número de dívidas se manteve neutro, sem apresentar queda ou avanço.

O número médio de dívidas de pessoas jurídicas em janeiro de 2019 foi de 1,94 por empresa. No mesmo período do ano anterior, era de 2,01 por CNPJ.

Já em relação a inadimplência, em janeiro de 2019 houve crescimento de 6,15% no número de pessoas jurídicas inadimplentes, quando comparado com o mesmo mês de 2018.  Na base de comparação mensal (Jan.19/Dez.18), houve um crescimento de 0,41% no número de pessoas jurídicas inadimplentes em Belo Horizonte. Mesmo com alta, os índices da inadimplência são menores do que os apresentados nos últimos quatro anos. “A economia já dá sinais de melhora consistentes. Alguns setores retomaram as vendas e as taxas de juros cederam, tornando a renegociação de dívidas menos onerosa”, explica Silva.

Baixe os gráficos e comparativos em: https://bit.ly/2XpLwMP

Metodologia – Os indicadores de inadimplência apresentados nesse material contêm todas as informações disponíveis nas bases de dados a que o SPC Brasil e a CDL/BH têm acesso.