Imprensa -

Pagamento do 13º salário dos servidores do Estado promete impulsionar vendas de Natal em Belo Horizonte

Clipping

Somente na capital, haverá uma injeção de mais de R$ 800 milhões

Nesta quarta-feira, 15, o funcionalismo estadual irá receber, após seis anos de parcelamento, o pagamento integral do 13º salário.  A estimativa é que o pagamento da folha injete na economia de Minas Gerais quase R$ 2,5 bilhões. Em Belo Horizonte, o valor estimado da folha é de mais de R$ 800 milhões, incluindo cerca de 110 mil pagamentos.

“O pagamento chega a dez dias do Natal e, como sabemos, a maioria das pessoas deixa para realizar as compras próximo à data. Com a injeção desse valor na economia da capital, a expectativa é de que as vendas sejam impulsionadas na próxima semana”, destaca o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), Marcelo de Souza e Silva.

Ainda segundo o presidente da CDL/BH, a folha salarial do Estado vem contribuindo para a retomada da economia na cidade. “Desde a retomada do pagamento integral dos salários dos servidores estaduais, no mês de agosto, o comércio vem sentindo um impacto positivo. Os funcionários do estado estão com maior poder de compra e podendo se organizar melhor com o salário integral em mãos. Isso faz muita diferença nesse processo de retomada”, ponta o dirigente.

Consumidor aninado

Mais otimistas com o cenário econômico e sanitário, os belo-horizontinos pretendem investir R$ 110,10 por presente neste Natal. O valor representa um crescimento de 15% no tíquete médio em comparação a 2020, quando o consumidor gastou R$ 95,71. A expectativa da CDL/BH é que a data injete na economia da cidade, ao longo do mês de dezembro, R$ 3,29 bilhões. O montante representa um crescimento de 1,75% nas vendas em relação ao mesmo período do último ano.

De acordo com levantamento da entidade, 72,8% dos moradores da capital mineira vão presentear neste Natal, o que significa um crescimento de 3,3% frente a 2020, quando o índice registrado foi de 70,5%.

Com a flexibilização das restrições, o comércio físico retoma sua força e promete ser o lugar preferido de 63,1% dos belo-horizontinos para realizar as compras de fim de ano. Neste recorte, 35,4% são referentes às lojas de shopping, 16% lojas de rua em centro comercial e 11,7%, estabelecimentos de comércio de bairro.  Já 32,5% afirmam que vão fazer as compras pela internet.