Imprensa -

Ponto Cultural CDL agora faz parte do Circuito Liberdade

Sugestão de Pauta

Espaço traz a história do desenvolvimento do comércio na capital e conta com instalações interativas e tecnológicas

O Circuito Cultural Liberdade ganhou nesta terça-feira, 15, mais um equipamento: o Ponto Cultural CDL.  Localizado na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), na Avenida João Pinheiro – 495, distante 1,2 km da Praça da Liberdade e com entrada gratuita, o espaço expositivo trata da relação entre Belo Horizonte e o setor do comércio sob várias perspectivas. Nas instalações do Ponto Cultural é apresentada a história da capital mineira, desde sua fundação até os dias atuais, as experiências e a sinergia entre comércio e o turismo, suas relações construídas ao longo do tempo e os aspectos culturais da cidade.

“Ter o Ponto Cultural CDL integrado ao Circuito Liberdade é uma grande conquista, não só para a CDL/BH, mas principalmente para a cidade. O comércio é parte fundamental de nossa história, por muitas vezes ele foi e é mecanismo de luta e transformação de nossa sociedade. Fazer parte do circuito é conceder ao setor sua importância histórica e cultural”, celebra o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

Segundo o secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, Belo Horizonte é uma cidade que vive essencialmente do comércio. “Nascemos, crescemos e nos desenvolvemos a partir da ação de comerciantes. A CDL/BH tem um papel importantíssimo na estruturação do comércio da capital. Ao integrar o Ponto Cultural CDL ao Circuito Liberdade, um espaço que conta de forma detalhada o desenvolvimento desse setor, desde a inauguração da cidade até a contemporaneidade, conseguimos contar a vida cotidiana de Belo Horizonte e também as mineiridades”, disse.

O presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva, e o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira

Sobre o Ponto Cultural

Ao chegar ao Ponto Cultural CDL, o visitante percorre a “Galeria Rampa”, um espaço destinado à intervenção de artistas regionais com ocupação dinâmica e temáticas ligadas direta ou indiretamente ao universo do comércio.

Após a rampa, o visitante é recepcionado pelo “Infovídeo”, que utiliza um mapa gráfico de Belo Horizonte como fio condutor para mostrar a força e a importância dos comerciantes para o desenvolvimento da capital. O vídeo combina informações práticas, históricas e simbólicas ao ritmo de uma trilha sonora ágil e contemporânea.

Em seguida, a “Linha do Tempo”, que é dividida em três eixos (Brasil/Mundo, Comércio e Belo Horizonte), destaca fatos históricos relevantes entre as décadas de 1890 e 2010 e apresenta informações como população, PIB, greves, revoltas, planos econômicos e mudanças de moeda. São distribuídos, ao longo deste módulo, três monitores que apontam relatos sobre as consequências da Segunda Guerra Mundial no comércio de Belo Horizonte, os primeiros anos da CDL/BH e o Monitor de Continuidade, que possibilita a atualização dos fatos no decorrer do tempo. Sobre a bancada são expostas moedas e diversas máquinas adotadas ao longo das décadas.

Os “Vídeos Poéticos”, acima da linha do tempo, relacionam o ritmo da cidade ao comércio, a visualidades arquitetônica do passado e do presente, e a pujança do comércio nas regiões descentralizadas.

Ao centro do espaço expositivo, está a “Mesa CDL” dedicada à exposição de conteúdo histórico, produções gráficas e principais ações e projetos da CDL/BH. Já o módulo “Comércio e a Cidade” fala sobre as relações construídas entre o comércio e a sociedade de Belo Horizonte, exibindo em 12 caixas cenográficas uma interpretação artística da relação entre as pessoas e os lugares, o homem e os objetos.

Ao fim da visitação, o visitante é surpreendido pelo “Monitor Inovação” que traz, com olhar conceitual e aspectos inovadores aplicados ao varejo, e constrói uma transição entre o Ponto Cultural CDL e o Varejo Inteligente, um espaço de coworking onde estão abrigadas as startups voltadas ao varejo, e também o espaço de convivência do associado da entidade.

“O Ponto Cultural CDL configura um espaço identitário, não só para a atividade comercial em si, mas para a sociedade como um todo, já que o comércio está intrinsecamente relacionado à cidade”, finaliza o presidente da CDL/BH.

Sobre o Circuito Liberdade

O Circuito Liberdade foi criado em 2010, após a inauguração da Cidade Administrativa e a transferência oficial da sede do governo da Praça da Liberdade para a região Norte de Belo Horizonte. A sua criação visava transformar os prédios históricos esvaziados em espaços com vocação para a arte, a cultura e a preservação do patrimônio, reunidos como complexo cultural referência para moradores da capital mineira e visitantes.

Hoje o Circuito Liberdade é composto por 34 instituições, que permeiam por diferentes aspectos do universo cultural e artístico. Dentre os equipamentos culturais em funcionamento, 13 são geridos diretamente pelo Governo do Estado e os outros funcionam por meio de parcerias público-privadas ou parcerias com instituições públicas federais. Mais informações sobre o circuito estão disponíveis em www.circuitoliberdade.mg.gov.br

Serviço

Ponto Cultural CDL – Circuito Liberdade

Local: Sede CDL/BH – Avenida João Pinheiro, 495 -Bairro Boa Viagem

Entrada: gratuita

Funcionamento:

  • Visitas livres: terça a sexta-feira, de 10h às 15h
  • Visitas mediadas às quartas, nos horários: 9h30 ás 10h30; 11h às 12h; 14h ás 15h e 15h30 às 17h
  • As visitas mediadas devem ser agendadas

Mais informações: www.cdlbh.com.br ou (31) 3249-1666