Imprensa -

Preço e qualidade dos produtos são os itens mais avaliados pelo consumidor na hora das compras

Sugestão de Pauta

Existem vários fatores que o consumidor leva em consideração na hora de realizar suas compras. De acordo com a pesquisa “Perfil do Consumidor”, realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), os itens mais importantes para os belo-horizontinos são o preço (30,5%) e a qualidade dos produtos (15,0%). O vice-presidente da CDL/BH, Marco Antônio Gaspar, explica que no atual cenário de instabilidade econômica a tendência é que o consumidor valorize mais o custo/benefício de cada produto. “O cliente está de olho nos preços. O valor da compra precisa caber no orçamento. Entretanto, isto não é motivo para abrir mão da qualidade dos produtos”, explica. O levantamento foi realizado entre 1º e 25 de março e ouviu 200 pessoas da capital e Região Metropolitana de Belo Horizonte.


Os demais itens avaliados pelo consumidor na hora das compras são: forma de pagamento (10,5%); educação e cortesia dos funcionários (10,3%); marca do produto (7,7%); agilidade no atendimento (6,1%); promoções e sorteios (5,3%); localização (4,8%); credibilidade da loja (4,0%); prazo de pagamento (3,0%); segurança (1,4%); relacionamento (1,2%) e organização (0,2%).
(Gráfico 1)

De acordo com a pesquisa da CDL/BH são as mulheres as que mais avaliam o preço na hora de ir às compras (32,0%). Entre os homens, esse índice é de 28,5%. Os outros itens mais relevantes para as belo-horizontinas são a qualidade do produto (13,7%) e as formas de pagamento (10,6%). “Grande parte dessas consumidoras são responsáveis pela maioria das compras da casa. Por isso a atenção delas quanto ao valor de cada produto é maior”, explica o vice-presidente da CDL/BH.
(Gráfico 2 – Perfil – Gênero) *Outros (agilidade, promoções, sorteios, localização, credibilidade, prazo de pagamento, segurança, relacionamento e organização

 

O preço também é o item mais avaliado pelos consumidores independentemente da classe social. Segundo Gaspar, o aumento do custo de vida tem corroído a renda das famílias. “Fator que leva os belo-horizontinos a realizarem um melhor controle das suas finanças”, afirma. 
(Gráfico 3 – Perfil – Classe Social)
 

Por faixa etária, quem mais avalia o preço na hora de realizar suas compras são os idosos (34,7%). “Naturalmente a aposentadoria reduz a renda desse público. Além disso, boa parte do orçamento destes consumidores já fica comprometido com os gastos com planos de saúdes e remédios. Por isso eles ficam mais atentos ao valor dos produtos”, disse Gaspar. 
(Gráfico 4 – Perfil – Faixa Etária)
 

Planejamento – Durante o levantamento, os entrevistados também tiveram escolheram a frase que mais se aproxima da sua realidade quando decidem fazer uma compra. E a maioria (67,8%) respondeu que quando tem a intenção de adquirir um produto, faz um planejamento e analisa se o custo cabe no orçamento. Segundo o vice-presidente da CDL/BH, esse aumento do interesse na realização do planejamento das finanças é reflexo do atual cenário de instabilidade econômica. “O belo-horizontino começa, aos poucos, a adotar bons hábitos financeiros, planejando mais suas compras e avaliando se a despesa cabe no orçamento”, disse. “Entretanto, muitos ainda compram por impulso, fator que têm contribuído com o aumento da inadimplência na capital”, completa.


As demais respostas foram: não tem a intenção de adquirir, mas acabam se interessando em comprar e verificam o orçamento antes de realizar a compra (segundo 15,8% dos consumidores); têm intenção de adquirir, e fazem a aquisição sem consultar o orçamento (11,1%) e não têm a intenção de adquirir, mas acabam comprando por impulso (4,1%). 
(Gráfico 5- em anexo; Gostaria que você me dissese qual das frases abaixo mais se aproxima da sua realidade quando decide fazer uma compra…) 
 

Forma de pagamento – A pesquisa da CDL/BH também apontou que a maioria dos consumidores da capital (79,0%) está pagando suas compras à vista. Nessa forma de pagamento, as mais utilizadas são o cartão de débito (segundo 33,9% dos entrevistados), cartão de crédito (23,4%), dinheiro (19,9%), boleto bancário (1,2%) e cheque (0,6%). Cautelosos quanto ao cenário econômico, o consumidor está evitando assumir dívidas em longo prazo. Por isto, o belo-horizontino está preferindo pagar as suas compras à vista”, explica.
(Gráfico 6 – Qual a forma de pagamento mais utilizada para efetuar compras?)


E os consumidores que mais pagam suas compras à vista são os homens (86,7%). A classe social que lidera a utilização dessa forma de pagamento é a A/B, segundo 87,5% dos entrevistados. Já por faixa etária, são os idosos que mais pagam à vista (94,1%).
(Gráfico 7 – em anexo ; Qual a forma de pagamento que MAIS UTILIZA para efetuar suas compras?)

 

Parcelamento – De todos os entrevistados, somente 20,5% optam pelo parcelamento das compras no cartão de crédito. Destes, 35,7% afirmam que utilizam essa forma de pagamento, pois o valor à vista é igual ao parcelado. Já 23,0% dividem o valor, pois não tem dinheiro para pagar à vista. Os demais motivos que levam os belo-horizontinos a recorreram as compras parceladas são: parcela quando o valor da compra é alto (19,8%); em último caso/necessidade (13,5%); é a forma de pagamento de melhor controle financeiro (7,1%) e prefere pagar as compras parceladas (0,9%).
(Gráfico 8 – Por qual motivo recorre a compras parceladas ?)
 

Produtos – Quando perguntados sobre quais produtos mais têm interesse em consumir, os itens mais citados pelos consumidores foram roupas (23,2%), calçados (18,1%) e produtos alimentícios (15,1%). Em seguida aparecem: cosméticos, perfumes e higiene pessoal (segundo 9,8% dos entrevistados); máquinas, eletrodomésticos, móveis e louças (8,5%); livros e itens de papelarias (7,4%); acessórios (bolsas, bijuterias e joias); produtos farmacêuticos e odontológicos (3,2%); veículos (3,0%); materiais de construção (2,3%); produtos veterinários (1,7%); tecidos e armarinhos (1,1%); eletrônicos (0,9%); viagens (0,4%). Os que não responderam somam 0,2%. 
(Gráfico 9 )
 

As mulheres têm mais interesse em adquirir roupas (26,4%) e calçados (20,9%). Já os homens possuem mais interesse em consumir eletrodomésticos (13,7%) e produtos alimentícios (12,5%). Outro dado que se destaca é que a procura das consumidoras por cosméticos (12,5%) é mais que o dobro da intenção dos homens por esses itens (6,1%). 
(Gráfico 10 – em anexo; Quais os três produtos você mais interessa em consumir?)