Imprensa -

Vendas de outubro registram alta e indicam que o Natal será positivo para o comércio da capital

Sugestão de Pauta

Em outubro o comércio de Belo Horizonte registrou aumento de 3,53% nas vendas em relação ao mês anterior (Out.18/Set.18). Essa alta foi proporcionada pelo aquecimento das vendas devido ao Dia das Crianças, data que está entre uma das melhores para o comércio. Está é a terceira alta consecutiva nesta base de comparação e é a melhor já registrada na série histórica. Para o vice-presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), Marcelo de Souza e Silva, esse crescimento aponta que os consumidores estão conseguindo ter um respiro no orçamento, o que vem influenciando positivamente o desempenho do varejo. “O mês de outubro é uma base forte de comparação, pois conta com o Dia das Crianças, o que contribuiu para que as vendas apresentassem uma elevação significativa frente a setembro”, comenta. “Esse resultado é muito positivo para o varejo, pois as vendas do Dia das Crianças servem como um termômetro para o Natal, melhor período do ano para o comércio, e nos mostra que devemos encerrar o ano também com alta nas vendas”, acrescenta o vice-presidente.

Na variação anual, o índice real de vendas também apresentou alta, com crescimento de 1,87% em outubro, na comparação com o mesmo mês do ano anterior (Out.18/Out.17). Essa elevação pode ser explicada pela melhora de alguns indicadores econômicos, como queda da taxa de juros (Out.18 em 6,5%/Out.17 em 7,5% – Banco Central) e redução da taxa de desemprego (3º tri.18 em 11,7%/3º tri.17 em 14,5% – IBGE). “Com mais renda disponível, as pessoas estão destinando uma parte dos seus recursos para o consumo, o que não vinha acontecendo nos anos anteriores”, esclarece Silva.

Nesta base de comparação todos os setores tiveram crescimento, comportando-se da seguinte forma: artigos diversos que incluem acessórios em couro, brinquedos, óticas, caça, pesca, material esportivo, material fotográfico, computadores e periféricos e artefatos de borracha (+3,44%); vestuário e calçados (+1,92%); material elétrico e de construção (+1,84%); supermercados (+1,73%); drogarias e cosméticos (+1,61%); papelarias e livrarias (+1,38%); móveis e eletrodomésticos (+0,27%) e veículos e peças (+0,09%).

No acumulado do ano vendas cresceram 2,35%

As vendas no acumulado do ano (Jan.18-Out.18/Jan.17-Out.17) registraram alta de 2,35%, “Esse é o melhor resultado dos últimos cinco anos e indica que o cenário econômico está mais favorável, o que vem influenciando positivamente o comércio”, comenta o vice-presidente da CDL/BH. “Mesmo que ainda seja em percentuais pequenos, cada resultado positivo é comemorado pelo comércio. Pois, no atual cenário econômico e político do Brasil, manter números positivos é muito significativo”, completa.

No acumulado do ano todos os segmentos apresentaram crescimento das vendas, a maior alta foi registrada pelo setor de supermercados (+3,64%). Os demais segmentos tiveram as seguintes altas: veículos e peças (+3,6%); artigos diversos (+2,9%); material elétrico e de construção (+2,27%); drogarias e cosméticos (+2,09%); móveis e eletrodomésticos (+1,96%); papelaria e livrarias (+1,54%) e vestuário e calçados (+1,3%).

Nos últimos doze meses varejo acumulou alta de 3,09% nas vendas

Nos últimos 12 meses o varejo da capital apresentou crescimento de 3,09%. “O varejo vem apresentando sinais de melhora, após três anos consecutivos de queda. Estamos conseguindo, aos poucos, retomar o ritmo de crescimento. Mas, sabemos que ainda falta um longo caminho para a recuperação das perdas dos últimos anos”, justifica o vice-presidente da CDL/BH. “Acreditamos que com a definição dos novos governantes e da política econômica que será adotada por eles teremos um quadro mais favorável, que proporcionará uma aceleração do crescimento econômico”, conclui Silva.