Notícias -

CDL/BH solicita aos senadores aprovação de projeto que incentiva a empregabilidade de idosos

Apoio ao Comércio

Belo Horizonte, 22 de fevereiro de 2022 – A Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) solicitou nesta segunda, 21, apoio aos senadores que compõem a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal para aprovação do PL 4890/2012. O projeto, que estará na pauta desta terça-feira, 22, é de autoria de Chico Rodrigues (DEM/RR) e prevê incentivos para empresas que contratarem profissionais com idade igual ou superior a 60 anos.

O projeto sugere, pelo período de cinco anos, incentivos fiscais aos empregadores que contratarem pessoas idosas. Estão previstas as deduções dos 20% de contribuição sindical e do valor de um salário mínimo para cada semestre de trabalho vigente de idosos contratados.

“Entendemos que o trabalho após os 60 anos serve tanto para socializar e manter mente, corpo e emoções em movimento, quanto para complementar a renda. Como boa parte destas pessoas ajuda de forma significativa no sustento das famílias e cuida de pais, filhos e netos, o trabalho e a renda dos 60+ impactam em toda a dinâmica familiar”, afirma o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

Ainda segundo o presidente, a entidade realizou um levantamento junto aos comerciantes para identificar a percepção dos lojistas sobre o tema. “Notamos que o comerciante enxerga pontos positivos em ter a mão de obra de um idoso em seu negócio. Por isso, ter o incentivo do poder público é essencial para que haja estímulo de contratação”, enfatiza o dirigente.

As competências em relação aos idosos mais citadas pelos lojistas foram: flexibilidade de horários (100%), permanência no trabalho, assiduidade e responsabilidade (90%), resolução de problemas e senso de propósito (80%). “Estes dados refletem o que outras pesquisas já mostram: que as pessoas maduras têm valores específicos reconhecidos pelo mercado”, ratifica Souza e Silva.

Segundo ele, apesar da contratação de pessoas idosas ser vista com bons olhos pelos comerciantes ainda há muito para avançar. “O mercado de trabalho, em geral, ainda não se adaptou à inversão da pirâmide etária e tem dificuldades de absorver a maturidade como valor no quadro de funcionários. Por isso, acreditamos que iniciativas como essa representam um importante estímulo à geração de empregos e contribuem para melhorar a visão que as pessoas têm sobre a própria longevidade e o valor da maturidade”, defende.

A CDL/BH vem, ao longo dos últimos anos, fomentando a empregabilidade da terceira idade na capital por meio do Programa 60+. O projeto foi pensado para fomentar soluções e parcerias que transformem a capital mineira em uma cidade ‘pró-longevidade’, especialmente nos setores da economia e emprego.

A proposta é contribuir para o desenvolvimento de um ecossistema social para esse público fundamentado em três eixos: políticas públicas, geração de trabalho e renda, experiência do cliente 60+ e economia prateada. “A população acima de 60 anos, muito em breve, será a maior do país. Além disso, no cenário atual, eles já representam a principal renda das famílias. Por isso, é tão importante fomentar entre essas pessoas a empregabilidade. Esse público carrega muita experiência e ainda possui muita disposição para o trabalho. Não podemos deixar que a idade seja um impeditivo de contribuição para a economia do país”, finaliza Souza e Silva.