Em que posso ajudar?

WhatsApp
Notícias -

Diminuição da Taxa SELIC

Apoio ao Comércio


A política monetária do Banco do Central deu continuidade ao ciclo de cortes da Taxa Básica de Juros em uma magnitude de 0,75 pontos percentuais, se estabelecendo 9,00% a.a., corte esse motivado principalmente pelo baixo desempenho da economia brasileira.


A variação da inflação para o mês de fevereiro foi de 0,21%, apresentando queda em relação ao mês anterior, no qual havia atingido variação de 0,45%. O IPCA do primeiro trimestre deste ano também apresentou queda em comparação ao primeiro trimestre de 2011, de 2,44% para 1,22%. Segundo o Banco Central a expectativa de inflação para o ano de 2012 ficará no patamar de 5,08%, o que demonstra a tendência de uma inflação próxima ao centro da meta, que é de 4,5% a.a. Com tais perspectivas de queda da taxa de inflação, a redução da taxa SELIC se torna mais viável. As vendas do varejo, segundo o IBGE, diminuíram em 0,5% em volume e 0,75% em receita nominal, quando comparadas ao mês anterior. O nível de produção industrial cresceu em 1,3% no mês de fevereiro de 2012 comparado a janeiro; entretanto, a variação em relação ao mesmo mês do ano anterior foi de -3,9%.


Com vistas a manter o desempenho da economia brasileira, o governo federal tem tomado todas as medidas possíveis para acelerar a economia e evitar que ela caia numa estagnação ou até mesmo recuo. Estas medidas vão desde o corte da taxa básica de juros SELIC, até a pressão contra os bancos privados para que eles diminuam seus spreads (diferença entre o que o banco paga pelo dinheiro e o que ele cobra) e reduzam os juros. Assim o governo pretende, basicamente, estimular o consumo interno com crescimento de renda e empréstimos mais baratos. Este consumo, por sua vez, gera um ciclo virtuoso dentro da economia pois gera emprego e renda, que gera mais demanda interna. Com o consumo estimulado, a tendência é que as empresas invistam em contratação, para atender a nova demanda.


Do ponto de vista da indústria, a queda da taxa de juros deve incentivar as empresas a investir, pois o crédito ficará mais barato tanto para elas como para os consumidores. Junto a isso, as medidas de desoneração fiscal e o plano Brasil Maior injetam um animo extra no setor, que tem sofrido com a concorrência dos produtos importados.


Com a inflação se aproximando do centro da meta mais rápido que o esperado (5,24% em fevereiro no acumulado de 12 meses), é provável que os contínuos cortes na SELIC parem e que a taxa feche o ano no patamar de 9%.


 


Publicações similares

Notícias gerais
16 de maio de 2024
DIA LIVRE DE IMPOSTOS JÁ TEM DATA MARCADA

Ação contra altas cargas tributárias será realizada no dia 6 de junho em todo o país. …

Notícias gerais
10 de maio de 2024
REDUÇÃO DA SELIC É COMEMORADA POR COMÉRCIO

Para CDL/BH, ainda que o recuo seja tímido, o impacto pode ser positivo e processo desinflacionário …

Notícias gerais
10 de maio de 2024
ESTAMOS DE OLHO: CONFIRA OS DESTAQUES DAS CASAS LEGISLATIVAS DE 06 A 10 DE MAIO

Novo feriado estadual; recriação do DPVAT; proibição aos supermercados de conferir compras de clientes; proibição estacionamento …

Notícias gerais
6 de maio de 2024
HOSPITAL SOFIA FELDMAN RECEBE DOAÇÕES ARRECADADAS PELO PROJETO AFETO, DA FUNDAÇÃO CDL-BH

Serão entregues  mais de 30 mil itens de enxoval e produtos de higiene pessoal que vão …