Notícias -

Em decisão de última hora o Congresso Americano consegue acordo para evitar o Abismo Fiscal

Apoio ao Comércio


         Numa votação de última hora nesta terça-feira, os deputados Americanos aprovaram por 257 votos a favor e 167 votos contra a lei que estendeu os benefícios fiscais que vigoram desde o Governo de George W. Bush e evitou o chamado abismo fiscal. Esta decisão referenda o texto aprovado pelo senado apenas 24 horas antes.


         Caso o Congresso não chegasse a um acordo, várias medidas de isenção fiscal seriam automaticamente revogadas, o que causaria um aumento de impostos em torno de US$ 536 bilhões (mais de R$ 1 trilhão) e cortes de gasto de US$ 109 bilhões (em torno de R$ 220 bilhões). Se isso ocorresse a economia Americana poderia entrar numa forte recessão, num momento em que ela está apenas começando a se recuperar da crise de 2008.


         Pela lei aprovada serão mantidos os cortes no imposto de renda para os americanos que ganham menos de US$ 400 mil por ano. Já para aqueles que ganham mais do que isso, a alíquota passa de 35% para 39,5%. O pacote aprovado ainda inclui o aumento de impostos sobre herança de 35% para 40% para ganhos acima de US$ 5 milhões para um individuo e US$ 10 milhões para um casal; aumentos de impostos sobre o capital, afetando alguns investimentos, de até 20%; extensão da duração do seguro desemprego para um ano e a prorrogação de cinco anos para os créditos fiscais que beneficiam as famílias mais pobres e de classe média.


         Apesar de tudo, esta decisão não resolve o grave problema do déficit fiscal americano. Ao longo dos próximos meses o congresso ainda se reunirá varias vezes para tentar resolver a situação fiscal. A solução deve passar por um corte de gastos na ordem de US$1,2 trilhão nos próximos 10 anos.