Notícias -

Genética empreendedora: conheça a história da família Farah, proprietária da Betina Modas

Conquistas e Ações da CDL/BH

Empreender.  Essa é uma palavra que Regina Célia Farah conhece desde a juventude. Em 1970, aos 22 anos, ela começou a trabalhar na loja que era de seus pais: a Betina Modas, empreendimento especializado em moda feminina. “Sempre tive muito interesse em me tornar uma empreendedora, pois, em casa, a conversa girava em torno do nosso negócio”, relembra.

Ela e dois irmãos decidiram abraçar o negócio da família e arriscar-se nos desafios do empreendedorismo. No entanto, alguns anos depois, com o falecimento de sua irmã e o desligamento do irmão, ela reuniu forças e assumiu o estabelecimento sozinha.

Consolidava-se ali a segunda geração da família a continuar o legado dos pais, que carregava a premissa de ser uma empresa inovadora e referência essencial para os clientes, desejada pelos consumidores, admirada por seus colaboradores e pela comunidade.

Nesses 58 anos de mercado, pode-se afirmar, com absoluta convicção, que a missão da Betina Modas deu certo. Afinal, mesmo passando por diversas crises, o negócio se manteve firme.

Dentre os vários momentos de dificuldades, Regina se lembra de um em especial. “O mais complicado deles foi o período da hiperinflação, pois no nosso negócio, naquela época, lidávamos com tabelas em dólar. Toda semana tinha alteração de preço e era tudo baseado na moeda norte-americana. No entanto, conseguimos sobreviver”, destaca.

Outro período de grande desafio foi entre os anos de 2013 e 2017. De acordo com ela, as vendas desabaram naquele momento. “Foi um verdadeiro caos. Tivemos que fazer alterações na empresa e algumas demissões. Pouco tempo depois, quando estávamos nos recuperando, veio a pandemia”, conta.

A tradicional loja de moda feminina da capital ficou completamente fechada por sete meses devido ao alto índice de contaminação pela COVID-19. As décadas de boa gestão refletiram no acúmulo de reserva financeira para conseguir manter o negócio durante esse período. Além disso, Regina destaca que a ajuda do pagamento dos salários por parte do governo colaborou bastante para que não houvesse demissões no quadro de colaboradores.

Com a reabertura do comércio, o sentimento de Regina é que a economia tem dado sinais de melhora. “Estamos observando um cenário positivo. Prova disso, é que estamos nos preparando para o mês de maio, mais especificamente para o Dia das Mães, com estoque variado para atender nossos clientes”, revela.

Terceira Geração

Há cerca de 20 anos, Regina passou a administração da empresa para as filhas Andréa e Daniela Farah. “Hoje, sou uma espécie de conselheira, apesar de continuar trabalhando”, frisa.

Atualmente, a Betina Modas possui duas lojas localizadas na região Centro-Sul da capital.  Regina ressalta o orgulho em ter as suas meninas à frente do negócio. “Fico muito feliz que minhas duas filhas sejam comerciantes natas e que tenham essa aptidão para o comércio”.

Andréa e Daniela reconhecem a dedicação, criação e inspiração que Regina sempre exerceu em suas vidas. “Aprendemos tudo que sabemos com ela. Foi a nossa melhor escola”.

Daniela, a Dani, como é chamada carinhosamente por Regina, revela ainda que resolveu cursar a faculdade de administração de empresas já pensando em seguir os passos de sua mãe. “Eu cresci dentro da loja e sempre amei moda. Foi um caminho natural. O grande diferencial na minha formação, com certeza, foram os ensinamentos do dia a dia que tive com ela”.

Longa parceria

Filiada à CDL/BH há 41 anos, a Betina Modas contou com o apoio da entidade em diferentes momentos ao longo das décadas. Segundo Regina, a CDL/BH é um órgão absolutamente essencial para o comerciante. “Durante todos esses anos em que somos parceiros, a entidade exerceu um papel essencial na manutenção e no sucesso do nosso negócio”, aponta.

Ainda de acordo com ela, os produtos que mais ajudaram a manter a saúde financeira do empreendimento foram o SPC Consultas e a garantia de cheques. “Além disso, nos beneficiamos em algumas situações do apoio jurídico que a entidade oferece. Sempre que possível, participamos também dos cursos e palestras para nos qualificarmos ainda mais e ficarmos atualizados com as novas tendências do mercado”.