Notícias -

Governo anuncia investimento de R$ 130 bilhões em projetos de habitação, infraestrutura e energia

Apoio ao Comércio


Com a melhora do ambiente econômico por meio da queda da inflação, taxa de juros e crescimento do PIB no 2º trimestre deste ano, o governo federal visando aquecer ainda mais a economia interna, lançou o Programa Avançar, que vai substituir o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).



O Avançar terá R$ 130,97 bilhões em investimentos em infraestrutura (recuperação e retomada de ações em ferrovias, hidrovias, estradas, portos) na área de esportes, cultura, saúde, educação, entre outras.



A retomada de investimento por parte do governo federal vem em um momento em que a economia interna está precisando de incentivos para voltar a crescer de forma robusta, sustentável, que seja capaz de aumentar a competitividade e os investimentos produtivos, e consequentemente, acelere a geração de emprego e renda no país.



A decisão de realizar investimentos em infraestrutura tem impacto indireto em toda cadeia produtiva, pois melhora o desenvolvimento urbano e cria empregos. O aumento na oferta de postos de trabalho amplia a capacidade de consumo das famílias, impactando positivamente nas receitas do varejo, que aumenta seu volume de encomendas à indústria e consequentemente amplia a arrecadação pública que pode contribuir para minimizar o déficit, e assim chegarmos ao ciclo virtuoso de crescimento.




A decisão de realizar investimentos em infraestrutura tem impacto indireto em toda cadeia produtiva, pois melhora o desenvolvimento urbano e cria empregos. O aumento na oferta de postos de trabalho amplia a capacidade de consumo das famílias, impactando positivamente nas receitas do varejo, que aumenta seu volume de encomendas à indústria e consequentemente amplia a arrecadação pública que pode contribuir para minimizar o déficit, e assim chegarmos ao ciclo virtuoso de crescimento.


Em suma, neste atual momento, o governo precisa manter o ambiente macroeconômico saudável, com a inflação controlada, continuar baixando os juros e aprovar as reformas necessárias, para garantir o crescimento da atividade econômica evitando que problemas políticos ameacem esta retomada ainda frágil da economia.




Fonte: Economia Pesquisa – CDL/BH