Notícias -

O momento pede senso de urgência. Em tudo

Apoio ao Comércio

Em um ambiente empresarial o senso de urgência associado com Pragmatismo e Visão parece ser a combinação perfeita, quase virtuosa, para os tempos atuais, onde “a mudança é a única constante”.


 


Essa expressão sobre a constância da mudança, pasmem, é de Heráclito de Éfeso, um filósofo grego que viveu 450-500 anos antes de Cristo, mas caberia perfeitamente na boca de um jovem empreendedor digital.


 


Nunca em negócios e empresas esse senso de urgência, prontidão e capacidade de reação e iniciativa foram tão fundamentais para continuidade dos negócios. E se forem corretamente combinados, para a expansão e o crescimento.


Vamos a alguns temas estratégicos no consumo e no varejo que são fundamentais na reconfiguração do mercado e dos negócios.


 


– Cresce a cada momento a participação dos alimentos preparados fora do lar no total dos dispêndios das famílias no Brasil. Quanto tempo mais vai demorar para que super e hipermercado, além das lojas de conveniência, acordem para a transformação estrutural que isso precipita e repensem o negócio de foodservice de forma estratégica?


 


– Os meios de pagamentos digitais em dois ou três anos terão participação das mais altas no Brasil e vão criar uma vantagem estratégica fundamental para as empresas que tenham acesso às informações que serão geradas. O que as empresas mais diretamente envolvidas estão fazendo a respeito?


 


– O crescimento do delivery nas grandes cidades, para diversas categorias, mas especialmente para alimentos, reconfigura os negócios dessas categorias, exigindo um repensar de estratégia o mais rápido possível.


 


– A taxa real Selic de juro inferior a 1% transforma de muitas formas os negócios e as atividades empresariais em todos os setores. Particularmente no consumo e no varejo vai envolver decisões de produtos, marcas próprias, nível e qualidade de estoques, comunicação, real estate, logística, crédito, preços, promoções e muito mais. Simples assim. Não fomos educados e treinados no Brasil para operar em ambiente com taxas reais de juros civilizadas.


 


Esses são apenas alguns poucos exemplos de transformações que já acontecem, mas que muitas empresas estão distantes na avaliação de seus impactos e consequências em seus próprios negócios. Como se pudessem esperar o tempo passar e tudo se ajustará e ignorar a lei fundamental de Murphy segundo a qual se algo puder dar errado, dará.


 


É tempo de reunir tudo que se desenha de mudanças próximas, muitas com datas marcadas para acontecer, e repensar estratégias, negócios, marcas, produtos, investimentos, formatos de lojas, logística, canais de distribuição e comunicação, decisões financeiras, estoques e muito mais.


 


Fonte: Mercado&Consumo