Notícias -

Produtos são commodities, pessoas não!

Apoio ao Comércio

A National Retail Federation (NRF) promoveu, na semana passada, a 106ª edição de seu "Big Show", que atraiu 35 mil pessoas ao Jacob Javits Center, em Nova York. 
 
O evento teve início com um painel que trouxe um dos assuntos mais discutidos durante toda a conveção: pessoas. Entitulada "Construindo a força de trabalho do amanhã: como varejistas estão atraindo e retendo talentos", a apresentação trouxe os CEO's da Macy's, Terry Lundgren, da Asley Stewart, James Rhee, do Walmart EUA, Greg Foran, e foi moderada pelo CEO da HSNi, Bill Brand.
 
"Acreditamos na fórmula 1=3. Um profissional excelente produz tanto quanto três bons profissionais"- destacou o chairman da NRF e co-fundador da The Container Store, Kip Tindell, ao abrir a sessão, ressaltando ainda que, com as constantes mudanças do ponto de venda trazidas pela tecnologia, inovação e personalização, cada vez mais os varejistas americanos estão preocupados em reter talentos, valorizando a carreira no setor e investindo em capacitação profissional. 
 
Em linhas gerais o painel deixou claro que, para entregar a tão sonhada experiência de compra ao consumidor, a loja precisa ter um time capacitado e alinhado com o propósito do seu negócio. Mas isso não é tudo: esse time precisa evoluir, ter um treinamento constante para acompanhar a evolução tecnológica e uma segurança para desempenhar sua função de forma apropriada.
 
"Nós temos abrir nossa mente para novos pensamentos a fim de nos adequarmos às demandas desse novo ambiente de trabalho, que muda a cada dia com o avanço da tecnologia. Nós temos que experimentar e colaborar. Tudo o que sabemos é que a mudança é constante. Dizem que nos próximos cinco anos o varejo vai mudar mais do que mudou nos últimos 50. Agora é a hora de pensarmos e de agirmos diferente", ressaltou Bill Brand, moderador do painel.
 
Um a um, os dirigentes apresentaram as diferentes formas encontradas por suas empresas para valorizar a força de trabalho, promovendo treinamento e engajamento de seus colaboradores.
 
Foran, por exemplo, explicou que o Walmart tem um programa de treinamento para habilidades básicas, além de planos para construir 200 centros de capacitação até o final do ano. A empresa também está aumentando salários, trabalhando na retenção de funcionários e se certificando de que seus colaboradores tenham acesso à tecnologia necessária para desempenharem suas funções. 
 
O grande destaque do painel, no entanto, foi o CEO da Ashley Stewart (boutique de roupas plus size para mulheres), James Rhee. Ele explicou que a companhia hoje preza muito por valores como respeito e empoderamento de suas clientes, mas que nem sempre foi assim.
 
Presidente da empresa desde 2013, Rhee assumiu a Ashley Stewart quando a companhia estava à beira da falência. A marca só conseguiu dar a volta por cima depois que adotou uma postura mais transparente, com foco principal no cliente, e se certificando que seus funcionários compreendiam a importância da cultura da empresa e da fidelização do consumidor.
 
"Eu sei que a indústria está passando por muitas mudanças e espero que isso sirva como uma forma de encorajamento: como um dos piores negócios existentes conseguiu se reinventar utilizando algo tão básico como a fidelidade e amizade. Posso garantir que, a partir do momento em que nossos funcionários se sentiram seguros, eles passaram a agir como líderes e isso fez toda a diferença. É preciso lembrar que produtos são commodities, pessoas não!", ressaltou.
 
Durante o painel, a NRF lançou uma plataforma de educação e treinamento para os varejistas americanos – a Rise Up, que possui 15 módulos de capacitação para pessoas que estão iniciando suas carreiras em centros de distribuição, call centers ou lojas. O treinamento pode ser feito pessoalmente ou online e é destinado a pessoas de todas as áreas, diferentes níveis de educação e idade.
 
FONTE: ANAMACO (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção)