Notícias -

Racionamento de água à vista

Apoio ao Comércio

Belo Horizonte e região metropolitana estão cada vez mais próximas do racionamento de água. Quem afirma isso é o diretor de operação da região metropolitana da Copasa, Rômulo Perilli, que esteve presente na reunião semanal do Conselho Consultivo da CDL/BH, realizada nesta quinta-feira (5), na sede da entidade, para falar sobre o abastecimento de água em Minas.
 
De acordo com Perilli, a situação dos reservatórios que abastecem BH e região metropolitana é crítica e a Copasa pretende implementar o racionamento de água ainda no mês de março, caso seja aprovado. Com a medida, a água será cortada diariamente, das 12h às 20h. “Só adotaremos essa medida após ouvirmos a sociedade e o poder público. Temos consciência que é possível realizarmos o racionamento sem grandes impactos. Se não fizermos, teremos problemas muito maiores”, enfatizou.
 
No mês de janeiro, a nova diretoria da Copasa apresentou ao governador Fernando Pimentel um estudo sobre a situação dos nossos reservatórios e iniciou algumas medidas para amenizar o quadro, como campanha para redução de 30% do consumo de água, redução do prazo de 9 para 4 horas no atendimento aos chamados para conserto de vazamentos e criação do site www.copasatransparente.com.br onde é possível acompanhar diariamente a situação dos reservatórios e as ações da Companhia para contornar o problema.
 
Mas até agora a campanha não surtiu o efeito desejado e a redução ficou próxima dos 10%. Segundo Perilli, se nenhuma medida fosse tomada e o volume de chuvas fosse igual ao do ano passado, os sistemas de abastecimento do Rio Paraopeba e Rio das Velhas entrariam em colapso em três meses.
 
Desperdícios – A chuva não é a única vilã dessa crise, como muitos podem pensar. Segundo o diretor da Copasa, cerca de 40% da água tratada nos dois reservatórios que abastecem BH e as demais 33 cidades da região metropolitana é perdida por erros de medição, ligações clandestinas e vazamentos. 
 
Esses vazamentos são explicados pela falta de manutenção da rede de distribuição. Perilli afirma que parte dos 15 mil quilômetros da rede tem mais de 90 anos e precisa ser substituída, mas não havia investimentos para essa tarefa. O diretor aponta que é necessário também lançar um grande programa de recuperação ambiental das nossas bacias. 
 
Mais ações – Até março do ano que vem, a Copasa vai conseguir captar um volume de 5 mil litros de água por segundo a mais no rio Paraopeba e outros mil no sistema Serra Azul. Além disso, a Companhia deve ampliar o programa de perfuração e reativação de poços e também viabilizará recursos para investimentos nos sistema de abastecimento.
 
Contato 
 
Para comunicar vazamentos ou alguma irregularidade no fornecimento de água, basta entrar em contato com a Copasa pelo número 115. A ligação é gratuita.
 
 
Dálcia de Oliveira
Comunicação e Marketing da CDL/BH