Notícias -

Salário mínimo aumenta quase 10% em 2015

Apoio ao Comércio


Desde a última quinta-feira (dia 1º) o salário mínimo vigente no país passou a ser de R$788,00 (setecentos e oitenta e oito reais), sofrendo uma alta de aproximadamente 8,8%, em relação ao salário mínimo do ano passado, que era de R$724,00 (setecentos e vinte e quatro reais).


A medida foi sancionada pela Presidente Dilma Rousseff, no dia 30 de dezembro de 2014, por meio do Decreto Lei 8.381. O referido instrumento além de fixar novo e maior valor ao salário mínimo estabeleceu diferentes valores para o dia de jornada trabalhada e para a hora aplicada ao trabalho, sendo R$ 26,25 (vinte e seis reais e vinte e cinco centavos) e R$ 3,58 (três reais e cinquenta e oito centavos), respectivamente.


Conforme o texto do citado Decreto Lei, a sua aprovação nada mais seria que uma intensificação na prática de políticas voltadas a valorização do salário, denominada em seu conteúdo como “política de valorização em longo prazo”.


Entretanto, apesar de ter se valorizado acima da inflação e de salários de outras categorias, o salário mínimo estaria muito abaixo do ideal, segundo pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).


Em concordância ao estudo elaborado pela Dieese o salário mínimo no Brasil teria que ser algo em torno de R$ 2.748,22, na presente data. A Instituição chegou a esse resultado após analisar o valor da cesta básica (na cidade de São Paulo), e em conformidade a diretriz constitucional que engloba os gastos de educação, previdência, alimentação, saúde, moradia, lazer, higiene e vestuário no aludido salário.


Apesar da nova legislação em vigor alterar o valor do salário mínimo, os lojistas devem ficar atentos aos pisos estabelecidos e normas pactuadas nas respectivas convenções coletivas das categorias.