Notícias -

CDL/BH representa todas as CDL’s de Minas Gerais na Assembleia Legislativa

Atuação Social

A CDL/BH representou todas as CDL’s do Estado de Minas Gerais durante o Ciclo de Debates Retomada do Desenvolvimento Econômico na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O presidente da CDL/BH, Bruno Falci, discursou durante o evento representando o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Minas Gerais (FCDL-MG), Frank Sinatra. O Ciclo de Debates foi realizado nos dias 03 e 04 de dezembro, no Plenário Juscelino Kubitschek da ALMG, com uma iniciativa do deputado estadual Antônio Carlos Arantes.

No primeiro dia, houve a palestra magna Panorama da Crise e Perspectivas de solução da situação econômica no Brasil e em Minas Gerais, com o Mestre em Economia Rural, doutor e pós-doutor em Economia, Nilson Araújo de Souza. “O segredo da retomada do crescimento está na redução da taxa de juros, essa é a questão básica, porque o Brasil está se desindustrializando”, afirma Souza. Segundo o doutor, seguindo esse caminho o país deixará de direcionar os recursos para o sistema especulativo e se voltará para a produção, contribuindo para o crescimento econômico.

Já no segundo dia, o vice-presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), Lincoln Gonçalves Fernandes, disse que o setor produtivo não se desenvolve num ambiente hostil. “Estamos perdendo investimento, temos o desafio de reduzir custos e elevar a produtividade. Nós precisamos de dois pontos fundamentais. Um deles é que temos que fazer uma reforma fiscal nesse pais. O outro é que precisamos de uma liderança, que traga grandes empresas e invista em tecnologia de ponta, como nanotecnologia, biotecnologia. Atualmente, o Brasil é fraquíssimo na cadeia global de valor”, expõe.

O presidente da Associação Mineira de Municípios, Antônio Júlio de Faria, acredita ser fundamental resolver a crise política que atinge o país no momento. “Se não resolvermos essa crise política, não vamos avançar. O Aécio Neves poderia ser a maior liderança do país, se não fosse essa ânsia de tomar o governo”, justifica Faria. Já o Superintendente Estadual da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio de Avelar chamou a atenção para as Micro e Pequenas Empresas (MPEs), que “geram mais da metade dos empregos do estado”, afirma. “As MPEs têm participação com 37% do PIB de Minas Gerais e possuem a capacidade de se readequarem a crise mais rapidamente”, completa.

O presidente da CDL/BH, Bruno Falci, afirmou que os setores de comércio e serviços vêm passando por grandes dificuldades. “A carga tributária junto com a burocracia vem sufocando as empresas, aliado a isto a crise política vem contaminando a economia. A crise hoje é moral, gerando uma crise de confiança. É impossível fazer planos de longo prazo neste país”, afirmou Falci. Ele ainda destacou a demissão em massa realizada pelas empresas. “O setor produtivo não tem prazer em demitir, mas em contratar. Temos que lembrar que diversas vezes contratamos pessoas sem qualificação para o cargo e gastamos muito para treiná- las e agora estamos gastando mais ainda para demiti-lás”, finaliza.

 

Bráulio Filgueiras
Comunicação e Marketing