Notícias -

Tentativas de fraudes aumentam no fim de ano e período de festas

Atuação Social

Tradicionalmente, os meses de Novembro e Dezembro aquecem o comércio, muito em função do incremento do 13º salário na economia e do período de festas. Se por um lado esses atrativos geram a alegria de empresários, comerciantes e consumidores, por outro, também desperta a atenção de criminosos interessados em utilizar o nome de terceiros para realizar os mais diversos tipos de fraudes.


 


Esses crimes podem ser realizados por meio de documentos roubados, perdidos ou capturados de sites de internet. As fraudes mais comuns são emissão de cartões de crédito, compras de celulares, automóveis ou qualquer outro produto de alto valor agregado, além de financiamentos e até abertura de empresas, tudo em nome da pessoa que teve o documento roubado. “Esse tipo de crime não causa apenas prejuízo para o consumidor que tem a documentação roubada e utilizada indevidamente, mas traz problemas também aos comerciantes que aceitam essa documentação sem a devida análise e cuidado, já que são obrigados a arcar com o prejuízo de compras que não serão pagas e podem até sofrer ações judiciais pela negligência dessa análise, caso o cliente fraudado se sinta constrangido com a cobrança de um produto que não comprou”, afirma Simone Lombardi, gerente de Produtos e Inteligência de Mercado do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).


 


 


 Confira algumas dicas para o lojista minimizar o risco de fraudes


 


 Apesar de ser difícil detectar as fraudes, os comerciantes podem tomar algumas ações para minimizar a ocorrência:


 


 • Em todas as compras a prazo, solicitar documentos originais do consumidor, de preferência dois (RG, CPF ou Carteira Nacional de Habilitação);


 


• Verificar com atenção as fotos do documento, principalmente se há diferença entre a data de emissão do documento e a idade do consumidor na foto;


 


• Confirmar se a assinatura da documentação é similar com a assinatura do contrato ou do cheque (caso este esteja sendo utilizado para pagamento);


 


• Solicitar endereço e telefone de contato e realizar a checagem na hora, antes de concluir a venda;


 


• Realizar algum tipo de consulta. A CDL/BH disponibiliza uma série de soluções para confirmar endereço e telefones informados anteriormente pelo cliente em outras compras.


 


 Os especialistas do SPC Brasil orientam que, caso após essas análises o comerciante ainda assim não se sinta seguro para realizar a venda, deve-se pedir uma parte do valor que seria parcelado como entrada.


 


 


  E para o consumidor evitar golpes com seus documentos


 


 Do lado do consumidor também é possível tomar algumas precauções para minimizar o risco de fraudes com seus documentos:


 


 • Não fornecer dados pessoais a estranhos;


 


• Evitar andar com documentos originais na carteira;


 


• Não inserir dados pessoais em sites pouco conhecidos ou de empresas suspeitas;


 


• Em caso de perda ou furto de documentos, realizar imediatamente um Boletim de Ocorrência.


 


 SPC Avisa – Para auxiliar na prevenção a fraudes, já existem no mercado serviços de alerta na movimentação de documentos, como o SPC Avisa, que monitora o CPF e CNPJ, avisando clientes e empresários sobre negativação, alterações de dados cadastrais e consultas realizadas por empresas em ambos os documentos, entre outras informações importantes. “Com o SPC Avisa, o consumidor e o empresário recebem alertas, via e-mail ou mensagem pelo celular, sobre qualquer movimentação ou consulta em seu documento, seja um CPF ou CNPJ”, explica Simone.


 


 Não sendo reconhecida a transação apontada pelo alerta do serviço, o cliente pode tomar as providências cabíveis antes que a fraude se confirme. “Esta solução é muito utilizada tanto por consumidores, que ao utilizar conseguem se antecipar a possíveis fraudes quanto por empresários e comerciantes que não querem ser surpreendidos ao terem suas compras negadas por algum tipo de inconsistência”, afirma Simone.


 


Clique AQUI e conheça o SPC Avisa