Veja como informar a redução ou suspensão do contrato de trabalho do seu empregado para o Ministério da Economia


Foi publicada  na sexta-feira, 24, a Portaria nº 10.486 do Ministério da Economia que regulamenta o processamento e pagamento do Benefício Emergencial previsto na Medida Provisória nº 936/2020, que trata dos acordos individuais para redução proporcional de salário e jornada e suspensão do contrato de trabalho.
 
1 - Quem tem direito a receber o Benefício Emergencial?
 
O Benefício Emergencial é direito dos empregados que durante o estado de calamidade pública realizarem acordo individual com os empregadores para a redução proporcional de jornada de trabalho e de salário, por até 90 dias, ou a suspensão temporária do contrato de trabalho, por até 60 dias.
 
O Benefício será devido ao empregado independentemente do cumprimento de qualquer período aquisitivo, tempo de vínculo empregatício, e número de salários recebidos.
 
2 - Quais empregados estão excluídos do Benefício Emergencial?
 
O Benefício Emergencial não será devido aos empregados que:
 
- ocupem cargo ou emprego público, cargo em comissão de livre nomeação e exoneração ou  titular de mandato eletivo;
- tiver assinado o contrato de trabalho após o dia 01 de abril de 2020;
- estiver recebendo benefício do INSS, ressalvados os benefícios de pensão por morte e auxílio acidente, seguro-desemprego ou bolsa de qualificação profissional. 
 
3 - É possível reduzir a jornada de trabalho e de salário ou a suspensão do contrato de trabalho das pessoas que não podem receber o Benefício Emergencial? 
 
Não, os empregados que estão excluídos do Benefício Emergencial não poderão assinar acordos individuais para redução de salário e jornada ou suspensão do contrato de trabalho. 
 
4 - Os empregados que não possuem controle de jornada de trabalho e que recebem remuneração variável poderão receber o Benefício Emergencial? 
 
Sim, desde que após a assinatura do acordo individual não seja mantido o mesmo nível de exigência de produtividade ou de efetivo desempenho do trabalho.
 
5 - Quais informações dos empregados deverão ser prestadas ao Ministério da Economia para a concessão do Benefício Emergencial? 
 
Para a habilitação do empregado no Benefício Emergencial o empregador deverá acessar o link https://servicos e informar:
 
- número de Inscrição do empregador (CNPJ, CEI ou CNO);
- data de admissão do empregado;
- número de inscrição no CPF do empregado;
- número de inscrição no PIS/PASEP do empregado;
- nome do empregado;
- nome da mãe do empregado;
- data de nascimento do empregado;
- salários dos últimos três meses;
- tipo de acordo firmado: suspensão temporária do contrato, redução proporcional da jornada e do salário;
- data do início e duração de cada período acordado de redução ou suspensão;
- percentual de redução da jornada para cada período do acordo, se o tipo de adesão for redução de jornada;
- caso o empregado possua conta bancária, os dados necessários para pagamento: número do banco, número da agência, número da conta corrente e tipo da conta, exceto conta salário; 
- tratando-se de pessoa jurídica, se o faturamento é superior a R$ 4.800.000.
 
6 - Quais as consequências para o empregador caso as informações prestadas possuam qualquer erro? 
 
Caso as informações prestadas possuam qualquer tipo de erro, o empregador será responsável pelo pagamento de eventual diferença entre o valor pago pela União e o efetivamente devido ao empregado.
 
7 - Qual o prazo para comunicar as informações sobre os acordos firmados com os empregados?
 
Os empregadores terão o prazo de 10 dias para comunicar os acordos individuais firmados com seus empregados.
 
8 - Caso ocorra a alteração do acordo com meu empregado, o que devo fazer?
 
Caso ocorra alteração no acordo individual, o empregador deverá informar o Ministério da Economia no prazo de até 02 dias corridos. Caso não seja observado este prazo, o empregador será responsabilizado pela devolução à União dos valores recebidos a maior pelo empregado ou deverá pagar ao empregado a diferença entre o Benefício Emergencial pago e o devido por força da mudança do acordo.
 
9 - O que ocorrerá caso os dados fornecidos estejam incompletos ou incorretos? 
 
O empregador será notificado da exigência de regularização das informações, no prazo de 5 dias corridos. Cumprido este prazo, será mantida a data de início do pagamento do benefício. O não atendimento da exigência de regularização das informações implicará no arquivamento da comunicação.
 
10 - O que posso fazer caso o benefício seja indeferido?
 
Na hipótese de indeferimento ou arquivamento do benefício por não atendimento de exigências de regularização das informações, o empregador será notificado dos motivos da decisão e poderá interpor recurso no prazo de 10 dias corridos.
 
11 - Quais as consequências das irregularidades causadas pelo empregador?  
 
Na hipótese de indeferimento do benefício ou de seu arquivamento por não atendimento de exigências de regularização das informações, o empregador ficará responsável pelo pagamento da remuneração do empregado anterior ao acordo individual.
 
12 - Quando o pagamento do benefício deixará de ser realizado?
 
- ao final do prazo do acordo de redução e suspensão informado pelo empregador;
- retomada da jornada normal de trabalho ou encerramento da suspensão do contrato de trabalho antes do prazo pactuado, devendo o empregador comunicar o Ministério da Economia no prazo de 2 dias corridos;
- pela recusa, por parte do empregado, de atender ao chamado do empregador para retomar sua jornada normal de trabalho, devendo o empregador comunicar o Ministério da Economia no prazo de 2 dias corridos;
- início de percepção de benefício do INSS, exceto o auxílio-acidente e a pensão por morte;
- início de percepção do benefício de seguro desemprego ou da bolsa qualificação;
- posse em cargo público, cargo em comissão de livre nomeação e exoneração, emprego público ou mandato eletivo;
- por comprovação da falsidade na prestação de informações necessárias à habilitação;
- por comprovação de fraude; 
- por morte do beneficiário.
 
13- Qual o prazo para a regularização das informações dos acordos cadastrados até o dia 24/04/2020?
 
Os acordos informados até o dia 24/04/2020, que estejam em desconformidade com as disposições da Portaria 10.486 do Ministério da Economia, deverão ser regularizados em até 15 dias da notificação enviada para a regularização do cadastro, se necessária alguma informação complementar do empregador.
 

Notícias Recentes

Análise do presidente da CDL/BH sobre o primeiro dia de funcionamento do comércio está entre os destaques do clipping de hoje
07/08/2020 - CDL na Mídia
Leia as principais notícias desta sexta-feira, 07 de agosto
CDL/BH luta para legalizar MP que permite emitir Certificação Digital por videoconferência
07/08/2020 - Apoio ao Comércio
MP autoriza a emissão ou revalidação de certificados digitais, no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileiras ? ICP Brasil, por meio de videoconferência.

Notícias mais Populares

Vistas
Recomendadas
Compartilhadas

Seja um Associado »

Nossos Produtos

Score de Recuperação Saiba qual a probabilidade de seus clientes inadimplentes pagarem a dívida
Garantia de Cheques A análise de crédito mais completa do mercado para você vender com segurança
Consultas Confirme os dados cadastrais e a análise de crédito de consumidores, empresas e grupos econômicos de todo o país

... Carregando...